Americanos apostam no Brasil para criar ‘maior loja virtual’ para bebês

Os sócios - e primos - Davis Smith (à esquerda na foto) e Kimball Thomas chegaram ao Brasil há pouco mais de dois meses para fundar a empresa (Foto: Divulgação)Dois jovens pais norte-americanos, empreendedores desde os tempos da faculdade, resolveram apostar no Brasil para dar início ao segundo negócio próprio da dupla. Há pouco mais de dois meses, Davis Smith, de 33 anos, e Kimball Thomas, de 32, desembarcaram no país com uma meta ambiciosa: criar a maior loja virtual do Brasil de produtos para bebês e crianças.

A escolha do Brasil teve fundamentos objetivos, mas também uma vertente emocional. “Eu morei 13 anos na América Latina. Quando tinha quatro anos, meus pais mudaram para a República Dominicana, depois fomos para Porto Rico, Equador, Peru e Bolívia. Eu sempre tive um gosto muito grande pela América Latina, sempre quis regressar”, conta Davis Smith, que tem mestrado em Estudos Internacionais, com ênfase na América Latina, pela Universidade da Pensilvânia.
“Tenho duas filhas e queria que elas experimentassem essa experiência de morar em outro país, aprender outro idioma”, diz. “Temos muitas esperança e fé no Brasil. O Brasil é o país do futuro. Trouxe minha família para cá e estamos muito contentes de estar aqui.”

Mas os sócios também estudaram o mercado antes de tomar qualquer decisão. “Muitas países, como China e Índia, ainda não usam muito internet para fazer compras e as pessoas ainda não têm internet em casa. Aqui, muitos têm internet e fazem compras online”, fala Smith.

O projeto começou a nascer quando Smith e Thomas faziam MBA na Wharton School e em Harvard, respectivamente. “Um amigo brasileiro que estudava comigo na Wharton e cuja esposa estava grávida falou que os preços de produtos para bebês eram muito caros no Brasil. (…) As pessoas vão para Miami para fazer compras e trazer para o Brasil”, fala o empresário.

A Baby.com.br entrou no ar na tarde desta sexta-feira (30) com um sortimento inicial de 2 mil produtos, mas o objetivo é dobrar as ofertas em um mês e atingir entre 10 e 15 mil itens em pouco tempo.

Mesas de bilhar
Os sócios, que são primos, já tinham experiência com comércio virtual. Os dois criaram, em 2004, a PoolTables.com, empresa de mesas de bilhar que, segundo Smith, tornou-se a maior varejista do setor. No fim do ano passado, a dupla vendeu a empresa em uma aquisição estratégica, mas Smith não revela valores.

“Quando estávamos fazendo MBA, pensamos muito sobre que negócio começar de novo. Entre várias idéias, nossa favorita foi mudar para o Brasil e começar essa empresa”, revela.

Os sócios também não revelam valores para criar a Baby.com.br, dizem apenas que “foi um investimento muito grande”. Os recursos vieram, em parte, de investidores que apostaram na ideia da dupla, entre eles, Ron Conway, um dos primeiros investidores do Google.

Produtos exclusivos
Um dos objetivos da Baby.com.br é trabalhar com produtos exclusivos. “Ainda não posso citar marcas, mas estamos falando com companhias americanas, conhecemos muitos produtos que as pessoas vão para Miami para comprar e trazer para o Brasil e vamos começar a vender aqui”, fala Smith.

“Temos outra vantagem sobre as outras empresas porque temos relações diretas com P&G, Kimberly-Clark, Johnson & Johnson, Draco.” Segundo o sócio, essa relação direta ajuda a oferecer preços mais competitivos e também garante que haja produtos em estoque para pronta-entrega.

Estrutura
A Baby.com.br montou um centro de distribuição em Barueri. Para dar início à operação no Brasil, a empresa contratou cerca de 30 profissionais, muitos com grande experiência em varejo e vendas pela internet. “Temos profissionais que vieram do Walmart, do Google, Carrefour, Submarino, Etna”, revela Smith.

Para garantir que as entregas cheguem a qualquer lugar do país, a empresa fechou parceria com quase 10 companhias terceirizadas. “Não importa se os pais estão no Amazonas, em Foz do Iguaçu ou em São Paulo, podemos enviar para eles sem problemas.”

Animado com o projeto, Smith diz que o grande objetivo da Baby.com.br é “melhorar a vida das mães e pais do Brasil”. “Tenho duas filhas e sei que os bebês mudam muito nossa vida. Queremos que os pais passem mais tempo com eles, fazendo coisas gostosas, não dentro do carro, no trânsito.”

Davis Smith tem duas filhas, com 5 e 8 anos de idade. Kimball Thomas é pai de um menino de 3 anos.

Fonte: G1

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Instagram começa testes para esconder número de curtidas no Brasil

O Instagram começa, nesta quarta-feira (17), um teste que deve colocar em prática uma nova função. A partir de agora, as fotos postadas na plataforma devem aparecer sem o número de curtidas. No entanto, o número de “likes” deve continuar visível para os usuários que postarem as imagens.  Leia também:Instagram libera sticker para chat nos storiesCenp reconhece Google e Facebook como veículos de mídia Segundo a empresa, o novo recurso foi criado para que “os seguidores se concentrem mais nas fotos e vídeos que são compartilhados, do que na quantidade de curtidas que recebem”. Apesar de esconder o número de curtidas, o aplicativo deve continuar utilizando-o como parâmetro para o algoritmo que escolhe o que é mais relevante. A mudança foi anunciada em abril e experiências do tipo foram feitas no Canadá, onde o Instagram avaliou os testes como positivos.

Clipping
PIB recua 0,8% no trimestre encerrado em maio, diz FGV

O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, recuou 0,8% no trimestre encerrado em maio deste ano, na comparação com o trimestre encerrado em fevereiro. O dado é do Monitor do PIB, divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Segundo a FGV, no entanto, o PIB brasileiro cresceu 0,5% quando comparado ao trimestre encerrado em maio de 2018. Considerando-se apenas o mês de maio deste ano, houve altas de 0,5% em relação ao mês anterior e de 4,3% na comparação com maio do ano passado. No acumulado de 12 meses, o PIB cresceu 1,2%. Na comparação do trimestre finalizado em fevereiro com o trimestre encerrado em maio, os três grandes setores produtivos tiveram queda: serviços (-0,4%), indústria (-1,4%) e agropecuária (-1,2%). Dentro dos serviços, a maior queda foi observada nos transportes (-2%). Os serviços de informação foram os únicos a apresentar crescimento (0,2%). Já na indústria, houve queda entre todos os subsetores, com destaque para a indústria extrativa mineral (-4,8%). Sob a ótica da demanda, a queda do trimestre findo em maio na comparação com o trimestre encerrado em fevereiro foi puxada pelas exportações, que recuaram 5,2% no período. O consumo de governo também caiu (-0,4%). Já as importações subiram 2,4%. Por outro lado, tanto o consumo das famílias quanto a formação bruta de capital fixo (investimentos) cresceram 0,2%. O cálculo oficial do PIB é feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado a cada trimestre fechado (janeiro a março, abril a junho, julho a setembro e outubro a dezembro).

Clipping
Reportagem da EBC volta a Mariana quase 4 anos após tragédia

A tarde de 5 de novembro de 2015 jamais será esquecida pelos moradores de Bento Rodrigues, subdistrito localizado a 35 km do centro de Mariana (MG). O local foi o mais atingido pelos 39 milhões de metros cúbicos de rejeitos vindos da barragem de Fundão da mineradora Samarco. A tragédia deixou um saldo de 19 mortos. A destruição ambiental atingiu, além de Bento Rodrigues, as comunidades de Paracatu e Gesteira e uma bacia hidrográfica que chega a 230 municípios de Minas Gerais e Espírito Santo. A destruição causada pela lama resultou, ainda, em centenas de desabrigados. A maioria espera uma solução da Fundação Renova, entidade criada para administrar todas as ações de reparação da tragédia. Seja por reassentamento ou recuperação da propriedade. É o caso do Wilson dos Santos, de 73 anos, que perdeu casa, cabeças de gado e plantações. Como a maioria dos moradores locais. Mais de três anos e oito meses após a tragédia, ele e outros moradores aguardam uma solução. A entrega de 240 casas em Bento Rodrigues, prevista para este ano, vai atrasar. Em Paracatu e Gesteira, as obras ainda nem começaram. A equipe da Agência Brasil visitou a região e mostra como atingidos lutam para recuperar a vida que levavam antes da tragédia.