Rock in Rio muda horário de shows do último dia

O vocalista do Guns N' Roses, Axl Rose (Foto: AP)Os organizadores do Rock in Rio anunciaram na manhã deste domingo (2) mudanças nos horários  e na ordem dos shows do último dia de festival.

Entre as principais modificações do palco Mundo está o horário da apresentação do Guns N’ Roses, das 1h10 às 3h30, com início 20 minutos mais tarde do que o previsto anteriormente.

Além disso, a previsão é que a programação do palco principal do evento comece 10 minutos mais cedo, às 18h50, com o Detonautas.

Outra mudança ocorreram na programação do Palco Sunset, onde foram criados intervalos mais longos entre os shows e os shows de Titãs + Xutos e Pontapés e de Marcelo Camelo + The Growlers trocaram de lugar entre si. A banda Faluja fecha a noite entre as 0h20 e 0h40.

Segundo os organizadores, o horário foi modificado para que o último show do Sunset aconteça no intervalo da apresentação das bandas System of Down e Guns N’ Roses no palco Mundo.

Confira a nova programação válida para a última noite de Rock in Rio:

PALCO SUNSET
14h30 – 15h20 – David Fonseca + The Monomes
16h – 17h – Mutantes + Tom Zé
17h45 – 18h45 – Marcelo Camelo + The Growlers
21h – 21h40 – Titãs + Xutos e Pontapés
0h20 – 0h40h – Banda Faluja (entre os shows do Sistem of a Down e Guns N’ Roses)

PALCO MUNDO
18h50 – 19h40: Detonautas
20h – 21h: Pitty
21h40 – 22h40: Evanecesce
23h10 – 0h20: System of a Down
01h10 – 03h30: Guns N´Roses

Guns N’ Roses toca pela 5ª vez
A banda de Axl Rose irá se apresentar pela 5ª vez na história do evento: eles já bateram o ponto em 1991 (Rio), 2001 (Rio), 2006 (Lisboa) e 2010 (Madrid).

Porém, quem é forte candidato a roubar a cena são os armenos/americanos do System of a Down. A banda de metal estreou em palcos brasileiros nesta semana e, segundo votação do festival, é a atração mais esperada desta edição.

No Palco Mundo, vale destacar também a presença do rock feminino, com Pitty e Evanescence na escalação. No Sunset, Mutantes e Tom Zé prometem reviver a tropicália, enquanto Marcelo Camelo divide os vocais com os californianos do The Growlers. O palco Eletrônico também é uma boa pedida para os fãs do gênero, com discotecagens de Hercules & Love Affair e Dimitri From Paris.

Veja abaixo todos os destaques.

1h10 – Guns N’ Roses
Expoente do hard rock, a banda do problemático Axl Rose não deve fazer um show diferente daquele realizado em 2001. A diferença será a inclusão de músicas do álbum “Chinese democracy”, ou seja, uma apresentação similar a que os brasileiros viram no ano passado, quando o grupo passou pelo país. Também não deixe de esperar um pouco para a banda subir ao palco – o show deles no Rio, em abril de 2010, atrasou duas horas.

Tecnicamente, a apresentação é impecável. São vários telões usados e diversos efeitos de palco, como explosões, chuval de papel picado e fumaça. A voz de Axl não é a mesma há anos, mas ele segura hits das antigas como “Patience”, “Paradise city” e “Sweet Child O’ Mine”.

O grupo costuma preparar algumas surpresas quando se apresenta no Rio: em 2001, o guitarrista tocou “Sossego”, de Tim Maia, e, no ano passado, o Hino Nacional.

23h10 – System of a Down
O som é pesado, mas os riffs de Daron Malakian na guitarra e os vocais de Serj Tankian fazem a californiana System of a Down uma banda de heavy-metal cheia de hits bem tocados nas rádios e programas musicais de TV: “Chop suey!”, “Aerials”, “Toxicity”… todas do segundo álbum de estúdio do grupo, “Toxicity”, lançado em setembro de 2001.

De origem armênia, os músicos se juntaram em 1994. O primeiro disco, auto-intitulado, sairia quatro anos depois. E, após “Toxicity”, lançaram ainda “Steal this album!” (2002), Mesmerize e Hypnotize (ambos de 2005) – entre os sucessos desses discos, “B.Y.O.B.”

Em 2006, a banda entrou num período de inatividade, marcado por projetos solos dos integrantes. Voltou a fazer shows em 2011, e já entrou para a escalação do Rock in Rio.

21h40 – Evanescence
A banda de metal liderada por Amy Lee tem um público cativo no Brasil, então é garantida a presença de (muitos) fãs do grupo – em especial, meninas. Ela promete cantar os sucessos dos álbuns “Fallen” (2003) e “The open door” (2006), como “Going under”, “Bring me back to life” e “My immortal”.

Também são esperadas faixas do terceiro trabalho de estúdio da banda, que chega às lojas neste mês. O single “What you want” está garantido no set list.

20h – Pitty
A cantora baiana leva para o Palco Mundo a estrutura do DVD-CD ao vivo “A trupe delirante no Circo Voador”, gravado na casa de shows do Rio de Janeiro e lançado neste ano.

Fazem parte do repertório do disco músicas como “Fracasso”, “O lobo”, “Comum de dois” e “Me adora”, que fechou a apresentação.

Embora tenha deixado de fora músicas do começo de sua carreira, o setlist no festival deve incluir hits como “Máscara”, “Equalize”, “Na sua estante”, “Teto de vidro” e “Semana que vem”.

18h50 – Detonautas
Em sua página oficial na web, os integrantes do grupo carioca Detonautas Roque Club garantem que pelo menos três faixas inéditas devem aparecer durante sua apresentação no Palco Mundo do Rock in Rio. Uma espiada na página do grupo no Soundcloud dá uma idéia de quais podem ser: “Conversando com o espelho”, “Sua alma vai vagar por aí!” e “Um cara de sorte”.

Além dessas novidades, o grupo liderado por Tico Sta. Cruz não deixará de fora os hits que fizeram dele um dos grupos brasileiros de rock mais populares dos anos 2000: “Outro lugar”, “Quando o sol se for”…

Sunset
A programação do Palco Sunset começa às 14h30 com o português David Fonseca e a banda espanhola The Monomes.

A atração seguinte, às 16h, é a banda veterana Mutantes, que divide o palco com Tom Zé. Após o revival tropicalista, às 17h45, o ex-Los Hermanos Marcelo Camelo se apresenta escudado pela banda californiana The Growlers, seguido do encontro do Titãs com a banda portuguesa Xutos & Pontapés, às 21h. A banda Faluja fecha a programação do Sunset com show às 0h20.

Rock Street
A All Star Blue Band abre a rua a partir das 14h30, seguida da loira (e bela) Taryn Szpilman, propamada para se apresentar às 17h45. Saxophonia, River Country Trio, Toni Roqueiro e outros artistas prometem agitar o local até às 21h10.

Eletrônica
A noite terá artistas da chamada “nova disco”, referência à reciclagem do gênero original, surgido nos anos 1970. Entre eles, o projeto nova-iorquino Hercules & Love Affair (do hit “Blind”) e o brasileiro Boss in Drama, que acaba de lançar seu primeiro álbum, “Pure gold”. Nessa mesma onda, também aparece na escalação o veterano DJ francês Dimitri From Paris.

Fonte: G1

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Instagram começa testes para esconder número de curtidas no Brasil

O Instagram começa, nesta quarta-feira (17), um teste que deve colocar em prática uma nova função. A partir de agora, as fotos postadas na plataforma devem aparecer sem o número de curtidas. No entanto, o número de “likes” deve continuar visível para os usuários que postarem as imagens.  Leia também:Instagram libera sticker para chat nos storiesCenp reconhece Google e Facebook como veículos de mídia Segundo a empresa, o novo recurso foi criado para que “os seguidores se concentrem mais nas fotos e vídeos que são compartilhados, do que na quantidade de curtidas que recebem”. Apesar de esconder o número de curtidas, o aplicativo deve continuar utilizando-o como parâmetro para o algoritmo que escolhe o que é mais relevante. A mudança foi anunciada em abril e experiências do tipo foram feitas no Canadá, onde o Instagram avaliou os testes como positivos.

Clipping
PIB recua 0,8% no trimestre encerrado em maio, diz FGV

O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, recuou 0,8% no trimestre encerrado em maio deste ano, na comparação com o trimestre encerrado em fevereiro. O dado é do Monitor do PIB, divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Segundo a FGV, no entanto, o PIB brasileiro cresceu 0,5% quando comparado ao trimestre encerrado em maio de 2018. Considerando-se apenas o mês de maio deste ano, houve altas de 0,5% em relação ao mês anterior e de 4,3% na comparação com maio do ano passado. No acumulado de 12 meses, o PIB cresceu 1,2%. Na comparação do trimestre finalizado em fevereiro com o trimestre encerrado em maio, os três grandes setores produtivos tiveram queda: serviços (-0,4%), indústria (-1,4%) e agropecuária (-1,2%). Dentro dos serviços, a maior queda foi observada nos transportes (-2%). Os serviços de informação foram os únicos a apresentar crescimento (0,2%). Já na indústria, houve queda entre todos os subsetores, com destaque para a indústria extrativa mineral (-4,8%). Sob a ótica da demanda, a queda do trimestre findo em maio na comparação com o trimestre encerrado em fevereiro foi puxada pelas exportações, que recuaram 5,2% no período. O consumo de governo também caiu (-0,4%). Já as importações subiram 2,4%. Por outro lado, tanto o consumo das famílias quanto a formação bruta de capital fixo (investimentos) cresceram 0,2%. O cálculo oficial do PIB é feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado a cada trimestre fechado (janeiro a março, abril a junho, julho a setembro e outubro a dezembro).

Clipping
Reportagem da EBC volta a Mariana quase 4 anos após tragédia

A tarde de 5 de novembro de 2015 jamais será esquecida pelos moradores de Bento Rodrigues, subdistrito localizado a 35 km do centro de Mariana (MG). O local foi o mais atingido pelos 39 milhões de metros cúbicos de rejeitos vindos da barragem de Fundão da mineradora Samarco. A tragédia deixou um saldo de 19 mortos. A destruição ambiental atingiu, além de Bento Rodrigues, as comunidades de Paracatu e Gesteira e uma bacia hidrográfica que chega a 230 municípios de Minas Gerais e Espírito Santo. A destruição causada pela lama resultou, ainda, em centenas de desabrigados. A maioria espera uma solução da Fundação Renova, entidade criada para administrar todas as ações de reparação da tragédia. Seja por reassentamento ou recuperação da propriedade. É o caso do Wilson dos Santos, de 73 anos, que perdeu casa, cabeças de gado e plantações. Como a maioria dos moradores locais. Mais de três anos e oito meses após a tragédia, ele e outros moradores aguardam uma solução. A entrega de 240 casas em Bento Rodrigues, prevista para este ano, vai atrasar. Em Paracatu e Gesteira, as obras ainda nem começaram. A equipe da Agência Brasil visitou a região e mostra como atingidos lutam para recuperar a vida que levavam antes da tragédia.