Ex-presidente da OAS diz que Lula pediu para destruir provas da Lava Jato

O ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro disse hoje (20), em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu para destruir provas que pudessem fazer referência ao suposto pagamento de propina ao PT. A oitiva do empreiteiro foi feita na ação penal sobre a compra de um apartamento triplex no Guarujá (SP) pelo ex-presidente, fato investigado na Operação Lava Jato. Pinheiro está negociando acordo de delação premiada, mas os termos ainda não foram fechados com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Ao narrar um suposto encontro com Lula, Pinheiro disse que foi perguntado pelo ex-presidente se o empreiteiro havia feito algum pagamento ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari no exterior. Na ocasião, Lula teria pedido que destruísse qualquer registro dos pagamentos. “Eu tive um encontro com o presidente, onde o presidente textualmente fez a seguinte pergunta: ‘Léo, você fez algum pagamento a João Vaccari no exterior?’ Eu disse, não, presidente, eu nunca fiz pagamento a essas contas que nós temos com o Vaccari no exterior. ‘Como é que você está procedendo os pagamentos para o PT através do João Vaccari? Você tem algum registro de algum encontro de contas de alguma coisa feita com o João Vaccari com vocês? Se tiver, destrua'”, teria dito Lula, segundo disse Pinheiro a Moro.

No depoimento, Pinheiro disse que foi orientado pela direção da empreiteira, durante a construção do edifício, que o imóvel era destinado para a família de Lula e confirmou que o triplex nunca foi colocado à venda pela OAS.

Defesa

Em nota, a defesa do ex-presidente Lula declarou que Léo Pinheiro contou uma ” versão acordada com o MPF [Ministério Público Federal]” para que o seu acordo de delação premiada seja aceito pela força-tarefa da Lava Jato.

“A versão fabricada de Pinheiro foi a ponto de criar um diálogo – não presenciado por ninguém – no qual Lula teria dado a fantasiosa e absurda orientação de destruição de provas sobre contribuições de campanha, tema que o próprio depoente reconheceu não ser objeto das conversas que mantinha com o ex-presidente. É uma tese esdrúxula que já foi veiculada até em um e-mail falso encaminhado ao Instituto Lula que, a despeito de ter sido apresentada ao juízo, não mereceu nenhuma providência”, argumentam os advogados.

De acordo com a defesa, Léo Pinheiro negou durante a oitiva ter entregue as chaves do triplex e negou que o imóvel tenha sido usado pelo ex-presidente ou por um de seus familiares.

“Perguntado sobre diversos aspectos dos três contratos que foram firmados entre a OAS e a Petrobras e que teriam relação com a suposta entrega do apartamento a Lula, Pinheiro não soube responder. Deixou claro estar ali narrando uma história pré-definida com o MPF e incompatível com a verdade dos fatos”, concluiu a defesa.

A pergunta que motivou as repostas de Léo Pinheiro foi feita pelo próprio advogado de defesa de Lula, Cristiano Zanin. O defensor queria saber se o empreiteiro tinha se reunido alguma vez com Lula.

Blog do Deputado Federal Gonzaga Patriota (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clipping
Temer defende acordos do Mercosul com União Europeia

O presidente Michel defendeu, hoje, em discurso durante reunião de cúpula do Mercosul realizada no Paraguai, que o bloco feche acordos com a União Europeia e a Aliança do Pacífico. O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Na reunião de cúpula desta segunda, o presidente paraguaio Horacio …

Clipping
Anvisa suspende venda de fraldas da marca Turma da Mônica

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou hoje (18), em resolução publicada no Diário Oficial da União, a suspensão da venda de parte dos lotes de fraldas descartáveis do modelo Tripla Proteção, da marca Huggies Turma da Mônica, recomendando que os consumidores que já tenham comprado unidades consideradas irregulares …

Clipping
Temer sanciona lei que permite venda direta do óleo do pré-sal

Após aprovação pelo Senado e Câmara dos Deputados, já está em vigor a lei que autoriza a venda direta de óleo do pré-sal sem a necessidade de agentes intermediários. A venda será feita pela estatal Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA), que poderá negociar diretamente com outras empresas a parte de óleo …