Enem 2018: veja motivos que podem zerar a redação e quais competências são cobradas para atingir a nota máxima

Clipping

A nota da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é tradicionalmente a maior nota da prova. Os estudantes que tiram zero na redação ficam fora de processos seletivos como Fies e Prouni, que usam a nota do Enem para classificar candidatos a uma vaga em universidades públicas e privadas no Brasil.

Na ‘Cartilha da Redação’ de 2018 do Enem, divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é uma espécie de manual que explica aos candidatos como funciona a correção da redação, foram apresentadas três mudanças à lista de motivos para um candidato ficar com nota zero na redação do Enem:

  • Retirada do item “desrespeito aos direitos humanos”.
  • Inclusão de mais detalhes no item “impropérios desenhos e outras formas propositais de anulação”: agora, o Inep deixa claro que números ou sinais gráficos fora do texto também rendem nota zero.
  • Maior rigidez na regra que proibia texto em língua estrangeira. Será anulada a prova do candidato que tenha “texto predominantemente em língua estrangeira”.

Em 2017 das 4,72 milhões de redações corrigidas, 309.157 tiveram notas zero. A fuga ao tema da prova foi o motivo para zerar a redação. Veja lista de motivos para uma redação do Enem 2018 levar nota zero:

1. Fuga ao tema

Não atender à proposta solicitada ou escreve uma redação que possua outra estrutura textual que não seja a estrutura dissertativo-argumentativa, será considerado “Fuga ao tema/não atendimento à estrutura dissertativo-argumentativa”.

No ano passado, os candidatos escreveram sobre o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, recebeu a rubrica fuga ao tema a redação estruturada integralmente em assunto não solicitado. Apenas 53 alunos atingiram a notam máxima.

2. Texto insuficiente

A redação que estiver abaixo das setes linhas será considerada insuficiente. É preciso atingir este número mínimo de linhas para pontuar. O mesmo vale para folha de redação deixada em branco, mesmo que haja escrito na folha de rascunho.

3. Cópia integral de texto motivador

No caderno de questões, o tema da redação vem acompanhado por textos motivadores para servirem de inspiração. Eles não podem ser copiados integralmente. Serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas as redações que copiarem os textos motivadores que estão na prova.

4. Parte desconectada

Também receberá nota zero a redação que apresentar “parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto”. A cartilha classifica como “desconectada” trechos como: reflexões sobre o próprio processo de escrita, bilhetes destinados à banca avaliadora, por exemplo, mensagens de protesto, orações, mensagens religiosas, trechos de música, de hino, de poema ou de qualquer texto, desde que estejam desarticulados da argumentação feita na redação.

5. Assinatura

A redação que tiver assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante também será anulada.

6. Língua estrangeira

O manual do Inep também deixa claro que será anulado o “texto predominantemente em língua estrangeira “.

Redação nota mil

Para atingir a nota máxima de mil pontos, são analisadas cinco competências, que são as regras básicas pelas quais os corretores da redação atribuem as notas aos candidatos do Enem. Cada uma vale no máximo 200 pontos, por isso a nota máxima da redação é mil. Veja as competências cobradas:

  • Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.
  • Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.
  • Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
  • Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
  • Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Todas as redações serão corrigidas por dois avaliadores. Cada avaliador atribuirá uma nota entre 0 e 200 pontos para cada uma das cinco competências.

Caso a nota final de cada avaliador tenha discrepância de mais de 100 pontos, ou caso a nota de cada avaliador em uma das competências tenha discrepância de mais de 80 pontos, a redação passará por um terceiro avaliador.

Se a discrepância persistir, uma banca presencial com três professores avaliará a redação mais uma vez, para definir a nota final do candidato.

Clipping
Três alunos vítimas do massacre em Suzano permanecem hospitalizados

Três alunos continuam internados, sendo que duas adolescentes apresentam quadro estável e são assistidas na enfermaria do Hospital Santa Maria, em Suzano. Um garoto de 15 anos permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Na noite de ontem (18), uma das vítimas, um garoto de 16 anos, recebeu alta. Ele passou por cirurgia e se recuperou bem. A escola Professor Raul Brasil reabre hoje (19) às 10h com um café da manhã. Psicólogos, voluntários e profissionais da saúde prestam assistência e promovem atividades esportivas, artísticas e rodas de conversas até sexta-feira (22). Passaram ontem, pela escola, 227 famílias, 30 professores e dez funcionários, para recolher pertences deixados na escola no dia da tragédia e para participar das atividades de acolhimento. A Diretoria Regional de Ensino ainda não definiu uma data para o retorno às aulas. A Prefeitura de Suzano informou que o Centro de Atenção Psicossocial Alumiar, na Rua Otávio Miguel da Silva, 187, também está disponível para dar suporte psicológico para as vítimas. Suspeito Um adolescente suspeito de envolvimento no ataque à Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), foi apreendido na manhã de hoje (19) pela Polícia Civil. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o jovem era colega de classe do atirador e o ajudou na compra, pela internet, de equipamentos usados no crime, o que resultou na morte de oito pessoas. Na última quarta-feira (13), dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, entraram na escola encapuzados e armados e se mataram após a ação. O terceiro acusado, detido hoje, não participou efetivamente da execução, mas do planejamento que vinha sendo feito desde novembro, segundo a polícia. Por ser menor de idade, o suspeito teve a apreensão requisitada à Justiça para posterior apresentação à Vara da Infância e Juventude. Ele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para realização do exame de corpo de delito antes de ser apresentado ao Fórum de Suzano. O inquérito policial foi instaurado na Delegacia do Município de Suzano e tem apoio do setor de homicídios de Mogi das Cruzes. Foram ouvidas 31 testemunhas, que podem ser chamadas novamente para prestar depoimento ao longo das investigações.

Clipping
Brasil quer sediar Copa do Mundo de futebol feminino em 2023

O Brasil foi um dos dez países que expressaram interesse em sediar a Copa do Mundo feminina da Fifa (Federação Internacional de Futebol) em 2023. Além do país, também estão interessados em receber a competição três sul-americanos (Argentina, Bolívia e Colômbia). As Coreias do Sul e do Norte informaram à Fifa que pretendem concorrer com uma candidatura conjunta. Além deles, formalizaram interesse em concorrer o Japão, a Austrália, a Nova Zelândia e África do Sul. Segundo a Fifa, esse é o maior número de países a formalizar interesse em sediar uma Copa do Mundo feminina desde a primeira edição do evento, em 1991. As confederações nacionais terão agora que registrar suas candidaturas até 16 de abril deste ano. O anúncio do país-sede deve ser feito em março do ano que vem. Entre os possíveis candidatos, nenhum sediou uma Copa do Mundo feminina. A próxima competição será realizada de 7 de junho a 7 de julho deste ano, na França. O Brasil está no grupo C do campeonato, junto com Austrália, Itália e Jamaica. A seleção brasileira estreia no dia 9 de junho contra a Jamaica.

Clipping
Inflação do aluguel é de 8,05% em 12 meses

O Índice Geral de Preços–Mercado (IGP-M), usado no reajuste de contratos de aluguel, registrou inflação de 1,06% na segunda prévia de março. O resultado ficou acima da inflação verificada na segunda prévia de fevereiro (0,55%). Os dados foram divulgados hoje (19), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A inflação pelo IGP-M é de 8,05% em doze meses.   A alta da taxa foi puxada pelos preços no atacado e no varejo. A inflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, subiu de 0,73% em fevereiro para 1,41% em março. Já o Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, passou de 0,17% para 0,5% no período. E o Índice Nacional de Custo da Construção teve queda. Ele passou de 0,29% na prévia de fevereiro para 0,11% na prévia de março.