Kim Jong-Un e seu pai tiveram outros passaportes emitidos no Brasil

Clipping

O ditador Kim Jong-un e seu pai e antecessor no comando da Coreia do Norte, Kim Jong-il, tiveram passaportes emitidos no Brasil pela Polícia Federal. Estes documentos serviram de base para a emissão de outros documentos aos dois pela embaixada brasileira em Praga, na República Tcheca, em 1996. O GLOBO obteve os dados através da Lei de Acesso à Informação.

 

As imagens dos passaportes emitidos em 1996 foram divulgadas em fevereiro pela Agência Reuters. Na ocasião, a agência reiterava que tivera acesso apenas a cópias daquelas cadernetas e não era capaz de discernir se elas eram verdadeiros. O Itamaraty informou que os passaportes são autênticos e que a emissão daqueles documentos teve por base passaportes que os dois norte-coreanos já possuíam.

“Os formulários de pedido de passaporte indicam que as referidas cadernetas foram emitidas em substituição a passaportes anteriores emitidos no Brasil, pela Polícia Federal, em nome de Josef Pwag e Ijong Tchoi”, afirmou o Itamaraty ao GLOBO.

O Ministério de Relações Exteriores esclareceu que a embaixada em Praga não exigiu a apresentação de documento de identidade para a retirada dos passaportes em 1996 porque, como se tratava de renovação, bastava apresentar o documento anterior.

“Segundo o Regulamento de Documentos de Viagem em vigor à época da emissão das cadernetas nº CE375364 e nº CE375366, aprovado pelo Decreto nº 637 de 24 de agosto de 1992, para a concessão de novo passaporte comum, era dispensada a apresentação de documento de identidade, caso o interessado apresentasse passaporte anteriormente expedido”, informou o ministério.

Viagem ao Japão com passaportes

Os passaportes foram emitidos em nome de Josef Pwag, para o atual presidente, e de Ijong Tchoi, para seu pai. Os documentos expedidos na República Tcheca tinham validade entre 26 de fevereiro de 1996 e 25 de fevereiro de 2006. Não foi informado pelo Itamaraty quando os documentos anteriores foram emitidos no Brasil, nem qual era a validade deles.

Em 2011, o jornal japonês “Yomiuri Shimbun” informou que em 1991, quando ainda era criança, o atual ditador Kim Jong-un visitou Tóquio usando um passaporte brasileiro. Na ocasião, o ditador, que tinha cerca de 8 anos, teria usado o nome de Joseph Pak. Ele e o irmão Kim Jong-chol teriam obtido os vistos em Viena. Na época, os serviços de segurança japoneses suspeitaram dos documentos, mas quando foi iniciada uma investigação sobre o caso, eles já haviam deixado o país.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/mundo/kim-jong-un-seu-pai-tiveram-outros-passaportes-emitidos-no-brasil-22574170#ixzz5CGOkwJaE
stest

Clipping
Julgamento de Maluf é suspenso com 4 votos a 3 contra recurso do parlamentar

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspendeu a sessão de julgamento do recurso do deputado Paulo Maluf (PP-SP), que será retomado na sessão desta quinta-feira. Até o momento, quatro ministros votaram contra o cabimento de embargos infringentes (um tipo de recurso) da defesa de Maluf para …

Clipping
Firma associada a presidente acusada de operar caixa 2

Peça central no inquérito que apura se o presidente Michel Temer recebeu propina para beneficiar empresas que atuam no porto de Santos, a Rodrimar já foi investigada sob suspeita de ter comprado notas fiscais frias para gerar caixa dois. O principal alvo da investigação era Antonio Celso Grecco, que presidiu a …

Clipping
MPF diz não ser viável regras diferenciadas para visitas a Lula

O Ministério Público Federal entendeu não ser “viável a fixação ou a elasticidade de horário diferenciado para visitas” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado pela Operação Lava Jato, diante dos sucessivos pedidos à Justiça Federal. Políticos, parlamentares e apoiadores têm requerido o direito de visitar e …