Líderes de potências mundiais concordam em responder a ataque químico na Síria

Clipping
Um porta-voz do governo britânico afirmou que a primeira ministra Theresa May entrou em contato com os presidentes Donald Trump e Emmanuel Macron para conversar sobre o ataque químico que deixou pelo menos 21 mortos na região de Doma, na Síria, no último sábado (7). Na conversa, os representantes teriam concordado que a comunidade internacional precisa responder ao ataque para manter a proibição global sobre o uso de armas químicas. “Se for confirmado o ataque químico, isto representará uma nova evidência da terrível crueldade do regime de Assad contra seu próprio povo e o completo desprezo por suas obrigações legais para não utilizar esse armamento”, diz nota divulgada pela equipe de May e replicada pela Agência de notícias EFE.
Agora, os líderes devem trabalhar juntos com aliados internacionais para garantir a resposta dos responsáveis pelo ataque. Até o momento, o único país que garantiu responder de forma militar às mortes causadas por armas químicas foi os Estados Unidos. Para supervisionar esta resposta americana, o presidente Donald Trump cancelou a viagem que faria à América Latina nesta semana.
Clipping
Julgamento de Maluf é suspenso com 4 votos a 3 contra recurso do parlamentar

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspendeu a sessão de julgamento do recurso do deputado Paulo Maluf (PP-SP), que será retomado na sessão desta quinta-feira. Até o momento, quatro ministros votaram contra o cabimento de embargos infringentes (um tipo de recurso) da defesa de Maluf para …

Clipping
Firma associada a presidente acusada de operar caixa 2

Peça central no inquérito que apura se o presidente Michel Temer recebeu propina para beneficiar empresas que atuam no porto de Santos, a Rodrimar já foi investigada sob suspeita de ter comprado notas fiscais frias para gerar caixa dois. O principal alvo da investigação era Antonio Celso Grecco, que presidiu a …

Clipping
MPF diz não ser viável regras diferenciadas para visitas a Lula

O Ministério Público Federal entendeu não ser “viável a fixação ou a elasticidade de horário diferenciado para visitas” ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado pela Operação Lava Jato, diante dos sucessivos pedidos à Justiça Federal. Políticos, parlamentares e apoiadores têm requerido o direito de visitar e …