Bolsonaro faz primeira visita oficial à Argentina nesta quinta-feira

Clipping

presidente Jair Bolsonaro faz sua primeira visita oficial à Argentina nesta quinta-feira (6), às vésperas das eleições no país. É a sexta viagem ao exterior em seis meses. O presidente esteve na Suíça, durante o fórum econômico de Davos, em Israel, Chile e duas vezes nos Estados Unidos.PUBLICIDADE

A viagem atende a convite do presidente argentino Maurício Macri, que foi o primeiro chefe de estado a visitar o Brasil após a posse de Bolsonaro. O encontro deverá tratar sobre temas da agenda bilateral entre os dois países, integração internacional e Mercosul.

Leia também: Trabalhadores paralisam Argentina com grande greve contra Macri

O Itamaraty afirma que a visita servirá para que “os dois presidentes dêem contornos claros aos novos rumos do relacionamento e confiram o necessário impulso político aos tópicos prioritários da pauta bilateral”.

O país vizinho está mergulhado numa grave crise econômica, que elevou a pobreza nos últimos 6 meses e fez o governo decretar o congelamento de preços da cesta básica, além de enfrentar onda de greves.

Leia também: Brasil e Argentina discutem redução de tarifa externa, dizem fontes

Mas o clima político da Argentina, que terá eleições em outubro, deverá ganhar destaque. Em entrevistas recentes, Bolsonaro tem criticado a ex-presidente Cristina Kirchner, principal adversária de Macri, e candidata à vice-presidência do país em chapa com Alberto Fernández, que lidera as pesquisas. “O mundo não quer outra Venezuela”, disse o presidente em evento recente em Brasília, se referindo ao regime de esquerda defendido por Cristina.

Protestos

O presidente deverá também enfrentar manifestações. Movimentos políticos, sociais e sindicais da Argentina convocaram protesto contra a visita. O ato está marcado para ocorrer na tradicional Praça de Maio, onde fica a Casa Rosada, sede do governo.

O local é conhecido também por causa das Mães da Praça de Maio, que durante a última ditadura militar no país começaram a organizar manifestações para exigir do regime notícias de seus filhos desaparecidos.

Roteiro da visita

Às 6h50, o presidente da República parte de Brasília rumo a Buenos Aires e tem previsão de chegar à capital argentina às 10h10. De acordo com agenda divulgada ao R7 pela comunicação do Palácio do Planalto, Bolsonaro chega às 10h35 à praça San Martín, onde está marcada homenagem ao general José de San Martín, considerado pai da pátria Argentina.

Ainda de acordo com o cronograma, o presidente chega às 11h à Casa Rosada, residência oficial do presidente Macri, onde tem duas reuniões: uma privada e outra ampliada.

Às 12h40, está prevista uma declaração conjunta para a imprensa. Bolsonaro ainda tem uma reunião com a cúpula do Congresso da Nação Argentina e com o Presidente da Corte Suprema de Justiça.

Também está prevista uma visita de Bolsonaro ao Museu do Bicentenário. Após conhecer o local, o presidente participa, às 13h40, de um almoço oficial oferecido por Mauricio Macri.

Às 14h50, Bolsonaro chega ao Hotel Alvear Palace e, às 16h25, à Embaixada do Brasil para participar do encerramento do Seminário de Indústria de Defesa.

Às 16h55 o presidente da República retorna ao Hotel Alvear Palace, onde tem encontro com empresários às 17h.

Ainda no hotel, Bolsonaro faz uma live por meio de suas redes sociais a partir das 19h e, às 20h, tem um jantar privado.

Na sexta-feira (7), está prevista para as 6h40 a partida de Bolsonaro de Buenos Aires para o Rio de Janeiro, onde deve chegar às 9h25.

Clipping
Embraer assina contrato de venda de 39 aviões para United Airlines

A Embraer anunciou hoje (17), em Paris, França, a assinatura de contrato com a United Airlines para a venda de 39 jatos E175. O pedido, que tem o valor de US$ 1,9 bilhão, inclui 20 pedidos firmes e 19 opções com as aeronaves sendo configuradas com 70 assentos. As entregas têm previsão de início no segundo trimestre de 2020. As aeronaves substituirão aviões de 70 lugares mais antigos que atualmente operam com os parceiros regionais da companhia aérea. “Com este contrato, temos a oportunidade de continuar a atender a frota da United com nossa plataforma E175 que é líder do segmento. O foco da Embraer em encontrar soluções que atendam às necessidades de nossos clientes é a principal razão pela qual continuamos liderando este segmento de mercado”, afirmou o diretor de vendas e marketing para América do Norte da Embraer Aviação Comercial, Charlie Hillis. Segundo nota da Embraer, incluindo este novo contrato, a empresa vendeu mais de 585 jatos E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, sendo responsável por mais de 80% de todos os pedidos neste segmento de jatos de 70 a 76 assentos. “O E175, operado por nossos parceiros regionais, provou ser uma parte importante de nossa frota à medida que continuamos expandindo nossa linha aérea principal e proporcionamos uma experiência ao cliente cada vez melhor. Ao nos concentrarmos em fornecer aos nossos clientes o máximo em conforto e conveniência, contamos com aeronaves como o E175 para nos ajudar a atingir nossa meta de oferecer a melhor experiência no céu”, disse o vice-presidente financeiro da United Airlines, Gerry Laderman.

Clipping
Maia diz que comissão pode aprovar Previdência na semana que vem

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (17) que a reforma da Previdência pode ser aprovada pela comissão especial que analisa o tema até o próximo dia 26. O parecer do relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) na comissão especial da Câmara, Samuel Moreira (PSDB-SP), foi lido na última quinta-feira (13). O texto foi criticado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, segundo o qual, as alterações feitas na proposta inicial enviada pelo governo podem “abortar” a reforma. Para o ministro, entre os principais problemas, estão as mudanças nas regras de transição que reduziram substancialmente a economia projetada. Rodrigo Maia disse que o posicionamento de Guedes teve efeito positivo. “A fala uniu o Parlamento, nos deu chance de estar mais próximos dos governadores e prefeitos. Tem crises ou críticas que vêm para bem. Essa é uma delas. Fortaleceu a certeza [de] que a Câmara e o Senado podem ter neste momento o papel [de] protagonista que nunca tiveram nos últimos 20 anos”, afirmou o presidente da Câmara depois de participar de um evento sobre transparências promovido pelo Grupo Bandeirantes. Joaquim Levy Maia comentou a demissão do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy. Ele pediu para deixar o cargo ontem (16) após ser criticado pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo Bolsonaro, o motivo do descontentamento com Levy foi a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. O presidente da Câmara defendeu Levy e Barbosa. “Queria que o Marcos Pinto pudesse ser aproveitado em uma área de um debate importante sobre economia com viés social. Ele é um dos melhores do Brasil nessa área. Demitir faz parte da vida, é um direito do governo, mas da forma como foi feito, criou suspeição sobre o Marcos Pinto. Esse advogado que foi demitido do BNDES é um dos quadros que mais entendem de política econômica do ponto de vista social no Brasil”, ressaltou Maia, que elogiou a trajetória de ambos e os serviços que prestaram ao país.

Clipping
Uso de simulador para obtenção de CNH será facultativo

Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (17) torna facultativo o uso de simulador de direção veicular no processo de formação de condutores, para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). As novas regras preveem, ainda, redução de 25 para 20, no número de horas-aula (h/aula) práticas nas auto-escolas, para a categoria B da CNH. No caso da categoria A, serão necessárias pelo menos 15 h/aula. Em ambos casos, pelo menos 1h/aula terá de ser feita no período noturno. Para condutores de ciclomotores, a carga horária mínima será de 5h/aula. As medidas começam a valer no prazo de 90 dias a serem contados a partir de hoje – data em que a matéria foi publicada no DOU. Em abril, durante reunião do Contran que definiu as novas regras, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que as mudanças ajudarão a desburocratizar etapas do processo de formação do condutor. “As decisões foram fruto de muita reflexão e estão sendo tomadas com toda responsabilidade”. Na oportunidade, ele argumentou que o simulador não teria eficácia comprovada. “Ninguém conseguiu demonstrar que isso tem importância para formação do condutor. Nos países ao redor do mundo, ele não é obrigatório, em países com excelentes níveis de segurança no trânsito também não há essa obrigatoriedade. Então, não há prejuízo para a formação do condutor”, disse. De acordo com o ministro, a medida visa reduzir a burocracia na retirada da habilitação. Ele disse que a decisão vai estimar uma redução de até 15% no valor cobrado nos centros de formação de condutores.