Brumadinho: Famílias de desaparecidos vivem angústia e ansiedade à espera da localização de vítimas 6 meses após desastre

Clipping

Cerca de 180 dias após o rompimento de barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG), que resultou em 248 mortes e 22 desaparecidos, sobreviventes tentam retomar a normalidade da vida.

Para inúmeras famílias, entretanto, principalmente a das vítimas desaparecidas, o passar do tempo é sinônimo de uma ansiedade que parece não ter fim. A angústia que assola os moradores da cidade se reflete no sistema de saúde municipal, que passou a distribuir 80% a mais de ansiolíticos e 60% a mais de antidepressivos (leia mais ao final da reportagem).

G1 publica esta semana uma série de reportagens em parceria com a CBN sobre os seis meses da tragédia em Minas Gerais.

“Eu estava no ribeirão, estava brincando, era no fundo da horta nossa. Eu só escutei um barulho de vento vindo, a lama já foi me pegando e me virando para o meio do mato”, conta o estudante Ronan Otávio Gomes, de 14 anos, um dos sobreviventes do rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão.

Para conseguir sobreviver em meio ao mar de rejeito em que se transformou o ribeirão, Ronan se agarrou a um coqueiro até que fosse achado por seu irmão, cerca de quatro horas depois. O adolescente foi socorrido e levado para um hospital na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde passou oito dias internado.

Ronan Otávio é um dos sobreviventes da tragédia da Vale — Foto: Raquel Freitas/G1

Ronan Otávio é um dos sobreviventes da tragédia da Vale — Foto: Raquel Freitas/G1

Na área onde ficava a horta da família de Ronan, a lama que soterrou a plantação hoje está seca e encoberta pelo mato, que disfarça a magnitude do desastre. Para quem quase morreu na tragédia, a vontade é de nunca mais retornar ao local.

“Voltei lá uma vez só. Eu não gostei, não. A gente vê onde que a gente ficava lá tudo destruído”, diz o garoto.

As cicatrizes no braço e na perna permanecem, mas Ronan diz que, com o passar dos meses, a rotina foi voltando ao normal.

‘A gente está no dia 25 todos os dias’

Para a família da analista administrativo da Vale Juliana Resende, de 33 anos, esse tempo se traduziu em dor e angústia. Eles continuam sem notícias dela. Além disso, tiveram que enfrentar a perda do marido de Juliana, o técnico de planejamento e controle da mineradora Dennis Silva, de 34 anos, que morreu na tragédia.

Juliana Creizimar de Resende Silva — Foto: Reprodução

Juliana Creizimar de Resende Silva — Foto: Reprodução

Os dois se conheceram quando trabalhavam na Vale, se casaram e tiveram gêmeos, que ficaram órfãos com apenas dez meses. A irmã de Juliana, Josiana Resende, é quem toma conta dos bebês junto com os avós das crianças. Ela afirma que ainda tem esperança de que o corpo da irmã seja localizado para que seja feita uma despedida.

“A gente está no dia 25 todos os dias, mas a gente ainda tem esperança de encontrar, porque o ‘se’ soa muito negativo. A gente fica atrás do IML, bombeiros e quer encontrar. O meu sofrimento é muito grande, é um pedaço de mim que foi embora”, relata.

Dor que remédios não curam

A doméstica Iolanda de Oliveira Silva, de 48 anos, vive a mesma espera. Ela vê o tempo passar sem informações sobre o filho, Robert Ruan Oliveira Teodoro, de 19 anos. Trabalhador terceirizado da Vale, ele estava na mina do Córrego do Feijão, na hora do rompimento da barragem B1.

“Eles acabaram com a minha vida. Só deitar, dormir, nem comida eu faço. É uma dor que esses remédios não curam, a gente toma por tomar”, desabafa.

O tempo se passou sem que a família recebesse notícias sobre a localização de Robert Ruan — Foto: Redes sociais/Reprodução

O tempo se passou sem que a família recebesse notícias sobre a localização de Robert Ruan — Foto: Redes sociais/Reprodução

Para Iolanda, os dias se tornaram vazios, tristes, intermináveis, e a vontade de se mudar de Brumadinho é grande. Três meses antes da tragédia da Vale, ela já havia enfrentado a perda de outro filho.

Para suportar tanto sofrimento, a doméstica, que teve que se afastar do trabalho, precisa tomar dez medicamentos por dia, como antidepressivos. Enquanto não tem novidades sobre o paradeiro de Robert, Iolanda se apega à última memória que tem do filho.

“Na hora que falar que achou ele, a gente não sabe se fica alegre, se fica triste. Você não vai poder ver. A última lembrança que eu vou ter é de quando ele saiu de casa, naquele dia. Ele me deu bênção, mandou levar a bolsinha dele na rodoviária, para ele ir para a casa da namorada. Essa é última lembrança dele”, diz.

Segundo Iolanda, 20 dias antes da tragédia, Robert havia dito que estaria minando água da barragem, mas ela conta que, naquele momento, achou que isso seria normal. “Se eu soubesse que era tão grave, ele não estava trabalhando lá mais”, afirma.

Segundo a Vale, a barragem tinha “todas as declarações de estabilidade aplicáveis e passava por constantes auditorias externas e independentes”. Ainda de acordo com mineradora, havia inspeções quinzenais, reportadas à Agência Nacional de Mineração (ANM).

“Em nenhuma dessas inspeções foram detectadas anomalias que apontassem para um risco iminente de rompimento da barragem”, afirma a empresa.

Robert, que faria 20 anos no dia em que a tragédia completou quatro meses, era gêmeo de Richard Rean Oliveira Teodoro, brutalmente assassinado em um triplo homicídio. Além do jovem, morreram a namorada dele, que tinha 13 anos, e a mãe da garota, que tinha 35. O crime foi presenciado por duas crianças. Segundo a doméstica, o suspeito tinha um relacionamento com a sogra do filho e foi preso.

Iolanda espera que os responsáveis pelo desastre que vitimou seu outro filho sejam punidos. Mas ela considera que nenhuma indenização ou auxílio por parte da mineradora seja suficiente para amenizar a perda de Robert.

Acordo assinado entre a Vale e o Ministério Público do trabalho estabelece que cônjuge ou companheiro, filho, mãe e pai de funcionários da Vale que morreram na tragédia recebam, individualmente, R$ 700 mil, sendo R$ 500 mil para reparar o dano moral e R$ 200 mil a título de seguro adicional por acidente de trabalho.

“Meu filho vale muito mais, a vida dele [vale muito mais]. E ela [Vale] engoliu ele, com lama de sangue, com ganância de ganhar dinheiro”, diz.

População adoecida

Como resultado desse trauma, a cidade de Brumadinho já encara um aumento significativo do adoecimento psicológico da população. Em seis meses, o sistema de saúde público precisou contratar mais 80 profissionais para dar conta dos atendimentos.

Também foi preciso aumentar as compras de remédios e insumos. Como consequência, a Secretaria Municipal de Saúde tem um déficit mensal de quase de R$ 1,5 milhão com os novos gastos.

Clipping
Gonzaga Patriota comemora assinatura de ordem de serviço para recuperação das PEs 630 e 635

Durante o Seminário Todos Por Pernambuco, que aconteceu nesta quarta-feira (21), em Petrolina, o governador Paulo Câmara autorizou a elaboração do projeto executivo de implantação da Rodovia PE-630 (Petrolina e Trindade) com uma extensão de 148 km e da PE-635, no trecho entre Afrânio e Dormentes, uma extensão de 33 km. O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) acompanhou toda solenidade e comemorou a notícia. “Um antigo sonho da população dessas localidades, a recuperação destas estradas possibilitará à região não somente a melhoria da mobilidade e escoamento rural, como também da qualidade de vida de quem precisa trafegar diariamente por elas. Essa obra vai proporcionar um imenso benefício para as comunidades. Parabéns ao governador Paulo Câmara por atender a mais esse pleito”, disse o socialista sertanejo. A PE- 630 tem o valor estimado em mais de R$ 5 milhões, vai contemplar os municípios de Petrolina, Afrânio, Dormentes, Santa Filomena e Trindade. Já os serviços de restauração da PE-635, no trecho entre Afrânio e Dormentes tem om investimento de R$ 30 milhões.

Clipping
Paulo Câmara visita obras e inaugura seção dos Bombeiros no Sertão do São Francisco

Entre os compromissos, governador também vistoriou intervenções que receberam recursos do FEM e ampliação do sistema de esgotamento LAGOA GRANDE e SANTA MARIA DA BOA VISTA – Dentro da sua programação na região do Sertão do São Francisco, o governador Paulo Câmara visitou, na tarde desta quarta-feira (21.08), as obras que estão sendo realizadas para a população do município de Lagoa Grande. Uma nova sede da Prefeitura Municipal está sendo construída e a Avenida Miguel Arraes passa por uma revitalização. O serviço de urbanização dos canteiros da avenida recebeu investimentos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), na ordem de aproximadamente R$ 324 mil. Ao lado da secretária estadual de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, o governador também vistoriou a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Lagoa Grande. A obra, que tem previsão de inauguração para junho do próximo ano, recebeu um investimento de R$ 3 milhões do Governo do Estado, e vai beneficiar cerca de 4 mil habitantes, ampliando a cobertura da rede de esgoto na cidade de 15% para 50% da população. SEÇÃO DE BOMBEIROS – Acompanhado do comandante do Corpo de Bombeiros de Pernambuco, Coronel Manoel Cunha, Paulo Câmara entregou, também nesta quarta-feira, a sede da 2ª Seção de Bombeiros de Santa Maria da Boa Vista. A unidade é vinculada ao 4º Grupamento de Bombeiros de Petrolina e atenderá ainda os municípios de Cabrobó, Orocó e Lagoa Grande. “Esse é um investimento dentro da política do Pacto Pela Vida, de ter serviços funcionando cada vez mais próximos da população. A Seção dos Bombeiros, inaugurada hoje, é fruto de uma parceria com o município, em um investimento de mais de R$ 1,5 milhão, com os equipamentos, que já estão devidamente instalados e com todo material humano. Essa é mais uma ação em favor da população, do resgate, do salvar vidas. É uma ação regional que vai beneficiar muitos serviços públicos oferecidos ao povo”, afirmou o governador. Na parceria, R$ 300 mil foram destinados pela Prefeitura de Santa Maria da Boa Vista. Ao todo, 18 profissionais atuarão na Seção de Bombeiros do município, sendo um oficial e 17 praças, que contarão com duas viaturas – uma de Auto Resgate (AR), utilizada para resgate e transporte de vítimas em via pública, e uma do tipo Auto Bomba Tanque e Salvamento (ABTS), destinada à atuação em incêndios e salvamentos terrestres. Na Zona da Mata do Estado já havia sido entregue o 7º Grupamento, situado em Carpina. Já no Agreste, foram inaugurados o 8º Grupamento, em Surubim, e as seções de Pesqueira, Bonito e Toritama. Por fim, no Sertão, já estão em funcionamento as seções de São José do Egito e São José do Belmonte. A expectativa é entregar, ainda este ano, o Grupamento de Bombeiros de Arcoverde. Participaram também da solenidade de entrega da 2ª Seção do Corpo de Bombeiros, entre outros secretários, o executivo de Defesa Social, Humberto Freire, o prefeito Humberto Mendes, o presidente da Assembleia Legislativa, Eriberto Medeiros, o deputado federal Gonzaga Patriota e os …

Clipping
Petrolina: “Pernambuco está com as contas em dias”, afirma Gonzaga Patriota durante visita de Paulo Câmara

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB), afirmou durante a visita de Paulo Câmara a Petrolina, na manhã desta quarta (21), que o evento com o governador  é oportuno para a população. “Era bom que a gente pudesse ter esse Pernambuco presente era todos os anos. Porque em cada encontro desse a  gente resolve muita coisa e a gente mostra ao povo o que governo tem feito e o que vai fazer”. A parlamentar também pontuou  que, apesar das cobranças e da situação econômica do país, a gestão tem trabalhado. “A gente está feliz porque enquanto o Brasil está totalmente falido, Pernambuco está com as contas em dias, 13º em dia,  pagamento de salário em dia e construindo e fazendo. O governo do estado pretende tapar todos os buracos de todas as estradas  até o final do ano”, assegurou.