PE investe R$ 5,8 mi no combate à dengue

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) lançou, nesta terça-feira (23), na sua sede, no Bongi, o Plano de Ação Para Prevenção e Controle da Dengue 2013. Ao todo, serão investidos R$ 5,8 milhões nas ações de combate à dengue em 2013, além de R$ 6 milhões repassados diretamente pelo Ministério da Saúde (MS) aos municípios, que representa um acréscimo de 20% no Piso de Vigilância e Promoção à Saúde das localidades.

Durante o evento, foi explicado o novo formato de monitoramento dos 114 municípios prioritários, que visa identificar as falhas nas ações que possam levar ao aumento na circulação do mosquito Aedes Aegypti em Pernambuco. Além do secretário estadual de Saúde, Antonio Carlos Figueira, participaram do evento os jogadores Magrão (Sport), Renatinho (Santa Cruz) e Kuki (Náutico), que se juntam à causa.

Para auxiliar no trabalho de análise da situação do Estado, 37 profissionais serão contratados para os núcleos de epidemiologia da SES e dos hospitais regionais. Dando continuidade às capacitações, serão treinadas 1.470 equipes de Saúde da Família. Uma nova rodada de atividades também será feita nas UPAs e nos hospitais regionais, totalizando 2,7 mil médicos e enfermeiros.

Diagnóstico 
A SES está descentralizando os testes sorológicos para saber se os casos notificados foram ou não provocados realmente pela dengue, com o objetivo de agilizar a confirmação ou não dos casos. Além do Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE), que fica no Recife, as Regionais de Limoeiro, Caruaru, Salgueiro, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada já estão aptas para fazer o teste. Palmares, Ouricuri, Garanhuns e Arcoverde estão finalizando as capacitações e organização para iniciar os trabalhos.

Campanha 
Para chamar a atenção do público, a SES irá distribuir material informativo durante todo o ano de 2013, que tem como lema Em nossa casa, a dengue não entra. Serão mais de 1,2 milhão de panfletos e filipetas e 300 mil cartazes. Ainda serão repassadas 21 mil capas para cobrir depósitos de água. Para os profissionais de saúde, serão mais de 200 mil folders e cartazes sobre o que deve ser feito em caso de agravamento da dengue.

Sobre a doença
Em 2012, Pernambuco registrou 20 óbitos confirmados por dengue. Isso representa uma diminuição de 62,96% comparando com o mesmo período de 2011, quando foram confirmados 54 óbitos. Também reduziram os casos graves: de 644, em 2011, para 184, em 2012 – uma queda de 71,27%. Entre os fatores para esse panorama, está a capacitação das equipes médicas, com o intuito de otimizar o manejo clínico dos pacientes e, com isso, evitar as complicações da doença.

Por outro lado, apesar da diminuição de mortes, o número de casos totais teve acréscimo: de 33.608 notificações, em 2011 (14.303 confirmados), para 59.554 em 2012 (24,613 mil confirmados), um aumento de 77,20%.

Até o momento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) notificou um total de 59.554 casos de dengue (24.612 confirmados), distribuídos em 184 municípios. Isso representa um aumento de 77,20% em relação ao mesmo período de 2011, que notificou 33.608 casos, confirmando 14.303 desses.

Os dez municípios com maior percentual de notificação são: Recife (23,04%), Jaboatão dos Guararapes (7,54%), Caruaru (4,75%), Cabo de São Agostinho (4,73%), Olinda (4,49%), Afogados da Ingazeira (4,31%), Paulista (3,06%), Abreu e Lima (2,56%), Ipojuca (2,24%) e Goiana (1,75%).

Em 2012, foram notificados 286 casos de dengue grave (com complicação ou hemorrágica), com 184 confirmações. No ano passado, foram 644 casos de dengue grave confirmados.

Ainda em 2012, foram notificados 71 óbitos suspeitos provocados por dengue, com 20 confirmações. No mesmo período de 2011, foram notificados 95 óbitos suspeitos, sendo 54 confirmados. Os municípios dos óbitos são: Recife (7), Jaboatão (3), Olinda (3), Camaragibe (1), Abreu e Lima (1), Joaquim Nabuco (1), Jurema (1), Paulista (1), Pesqueira (1), São Lourenço da Mata (1).

Mais informações sobre a dengue

Transmissão da dengue: A doença infecciosa é causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti.

Sintomas da dengue clássica: Dor de cabeça, nos músculos, juntas e olhos; Manchas vermelhas no corpo e febre alta por cerca de uma semana; Vômito, diarreia e falta de apetite.

Sintomas da dengue hemorrágica: Dor abdominal, tonturas, desmaios; Sangramento nas gengivas, nariz e outros locais do corpo; suor frio, fezes escuras e vômito.

Tratamento: A dengue não tem tratamento específico. Recomenda-se repouso, tomar muito líquido e não ingerir medicamentos com ácido acetilsalicílico (AAS e Aspirina). Ao menor sinal, procurar um posto de saúde mais próximo de sua casa. No caso da dengue hemorrágica, a referência estadual é o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, em Santo Amaro.

Cuidados importantes para eliminar os focos:

– Mantenha bem tampados caixas d’água, jarras, cisternas, poços ou qualquer outro reservatório de água.

– Mantenha as lixeiras tampadas e secas. Nunca jogue lixo em terrenos baldios.

– Coloque no lixo todo objeto que possa acumular água. O lixo deve ser colocado em sacosplásticos bem fechados.

– Lave os bebedouros de animais com uma bucha pelo menos uma vez por semana e troque a água todos os dias.

– Cubra e guarde os pneus em locais secos, protegidos das chuvas.

– Guarde as garrafas secas de cabeça para baixo e não deixe no quintal objetos que acumulem água.

– Encha os pratinhos de plantas com areia.

– Retire a água acumulada sobre a laje.

– Mantenha as calhas d’água limpas.

Fonte: FolhaPE

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Presidente: aumento do Auxílio Brasil pode superar efeitos da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (24) que o aumento dos índices de inflação tem, entre suas causas, problemas decorrentes do isolamento social, medida de combate à pandemia que, segundo ele, acabou por prejudicar a economia do país. Segundo o presidente, uma medida que pode ajudar na superação desses efeitos negativos causados pela pandemia na economia é o aumento no valor do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600. As declarações foram feitas durante a cerimônia de inauguração dos Residenciais Canaã I e II, em João Pessoa (PB). De acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, está acumulado em 12,04%, nos últimos 12 meses.

Clipping
Saúde amplia público da campanha de vacinação contra gripe

O Ministério da Saúde informou que a partir de amanhã (25) os estados e municípios poderão ampliar a campanha contra a gripe para toda a população a partir de 6 meses de vida, enquanto durarem os estoques da vacina contra a influenza. Segundo o ministério, a ideia é que a ampliação na vacinação evite casos de complicações decorrentes da doença e impeça eventuais mortes e uma possível “pressão sobre o sistema de saúde”. A campanha nacional de imunização contra a influenza começou no dia 4 de abril. O Ministério da Saúde já distribuiu para estados e o Distrito Federal as 80 milhões de doses contratadas para imunizar a população brasileira. Até o momento, a mobilização contra a doença atingiu 53,5% de cobertura vacinal. Hoje (24), os pontos de vacinação atenderam exclusivamente pessoas que pertencem ao público-alvo da campanha, entre crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, indígenas e idosos. Quem faz parte do público-alvo e ainda não se imunizou, também poderá se vacinar após a ampliação da campanha. Para tomar o imunizante da gripe, basta ir a qualquer posto de vacinação. Fonte: EBC

Clipping
Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve a bandeira verde em julho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Com a decisão, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês. É o terceiro o anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica, que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia. Caso houvesse a instituição das outras bandeiras, a conta de luz refletiria o reajuste de até 64% das bandeiras tarifárias aprovado nesta semana pela Aneel. Segundo a agência, os aumentos são devido à inflação e ao maior custo das usinas termelétricas neste ano, decorrente do encarecimento do petróleo e do gás natural nos últimos meses. Bandeiras Tarifárias Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias. Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre acréscimos que variam de R$ 2,989 (bandeira amarela) a R$ 9,795 (bandeira vermelha patamar 2) a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima. Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel. Fonte: UOL