Em PE, preço da ração e seca fazem preço do leite aumentar 30%

A estiagem prolongada no Sertão pernambucano ainda está trazendo dificuldades para os comerciantes em todo o estado. As consequências estão chegando até o bolso dos consumidores e quem faz as compras de casa tem sentido o orçamento ficar mais apertado. Alguns produtos, como o leite, estão com a baixa oferta e, consequentemente, altos preços nas prateleiras dos supermercados. No último ano, o preço do leite e derivados aumentou 30%.

De acordo com o Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Pernambuco (Sindileite), o estado costumava produzir 2,3 milhões de litros de leite por dia. Agora, a produção caiu parar 500 mil litros diários e os produtores estão importando o produto de outros estados como Minas Gerais, Bahia e Alagoas – 70% do leite consumido está vindo de fora.

Para a superintendente da Associação Pernambucana de Supermercados (Apes), Silvana Buarque, a variedade de leite reduz e o preço sobe por causa da dificuldade da produção. “Infelizmente toda essa questão da seca provoca aumento de insumos, do preço da ração, o que resulta na diminuição da oferta no caso dos fornecedores de leite. O queijo e outros derivados vem em seguida”, alerta Silvana.

A situação se agrava porque a ração para o gado também aumentou de preço, deixando ainda mais cara a produção e criação dos animais. Os produtores precisa mbuscar o alimento para o rebanho em lugares cada vez mais distantes e o custo acaba sendo repassado ao consumidor.

A superintendente assegura que, apesar dos altos preços, o produto vai continuar chegando às prateleiras. “Tem sido um grande empenho para que não falte o produto porque a questão do leite é bem diferente dos outros produtos da cesta básica. O consumidor pode substituir o feijão, o tomate, a cebola, mas o leite tem procura firme”, disse.

Fonte: G1 PE

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Pernambuco descarta um dos três casos suspeitos de hepatite aguda grave; paciente estava com chikungunya

Um dos três casos suspeitos de hepatite aguda grave notificados em Pernambuco foi descartado. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (16), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). De acordo com a pasta, a ocorrência descartada foi a de um adolescente de 14 anos, do sexo masculino, residente no município de Salgueiro, no Sertão do Estado. Os exames do jovem deram positivo para chikungunya, descartando, assim, a notificação de caso provável para hepatite. O paciente está internado no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), na Zona Oeste do Recife, onde segue recebendo tratamento. Ainda segundo a SES, agora, Pernambuco investiga dois casos suspeitos da doença: o de uma criança de 1 ano, do sexo masculino, que foi acompanhada no Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru, no Agreste, e que já recebeu alta hospitalar; e o de uma criança do sexo feminino, de 3 anos, residente do município de Glória do Goitá, na Mata Zul do Estado, que segue internada no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), na área central do Recife. “As investigações dos dois casos continuam em andamento, com a realização de exames complementares para análise laboratorial das hepatites virais, agentes possivelmente relacionados a este tipo de hepatite e outras doenças, assim como as investigações epidemiológicas realizadas junto aos municípios de residência dos pacientes”, afirmou a SES. A pasta informou, ainda, que, em paralelo ao acompanhamento dos casos suspeitos, segue em contato com toda a rede de saúde e especialistas, realizando reuniões com representantes da Sociedade de Pediatria de Pernambuco (Sopepe) para discussão dos casos e definição de fluxos assistenciais e de vigilância. Fonte: Edenevaldo Alves

Clipping
São Paulo tem campanha para prevenção do câncer de bexiga

A Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo (SBU-SP) promove, durante todo este mês, a campanha Maio Vermelho para alerta e prevenção do câncer de bexiga. A iniciativa, feita nas redes sociais, visa orientar e conscientizar a população para que, caso os sintomas apareçam, a pessoa procure atendimento médico o quanto antes. O mês foi escolhido por ser o mesmo período em que ocorre a mobilização contra o tabaco, já que o tabagismo está relacionado diretamente ao aparecimento da doença. De acordo com o urologista e membro da SBU-SP Fabrizio Messetti, a doença é agressiva e acomete tanto mulheres quanto homens, mas com incidência quatro vezes maior entre os homens. O principal sintoma é o sangramento visível na urina. “Geralmente, é um sangramento que não dói, que não tem nenhum fator de causa e é um sangue vivo. Não que esse sangue seja exclusivamente o câncer de bexiga, mas pode se tratar de um”, explicou. Para obter o diagnóstico, a pessoa faz um exame de imagem, preferencialmente a tomografia abdominal com contraste, por meio do qual é possível identificar a maior parte dos tumores de bexiga. “Para evoluir um pouco no diagnóstico, fazemos a cistoscopia, que é uma câmera inserida no canal da uretra para olhar dentro da bexiga e identificar a lesão. Também fazemos biópsia”, explicou o médico. Tumor Para ele, a chance de cura depende do estágio em que se descobre o tumor. Se ele for não invasivo, que não tenha atingido o músculo do órgão, as chances são bem mais altas, porque se tratado corretamente esse tipo de tumor não tende a evoluir. “O único problema é que esses tumores podem voltar, então temos que fazer o acompanhamento com exame de imagem e tomografia e cistoscopia”, afirmou. No caso dos tumores invasivos, a opção é fazer uma cirurgia radical, com a retirada de todo o órgão. “Nessa situação, a cura é por volta de 70% dos pacientes”, disse Messetti. Em alguns casos, consegue-se, com um aparelho endoscópico, ressecar o tumor e, posteriormente, o indicado é fazer o tratamento com quimioterapia e radioterapia. Ele destacou que o principal fator de risco para o aparecimento do câncer de bexiga é o tabagismo, sendo que 70% dos tumores ocorrem em pessoas que fumam. O paciente que fuma tem de três a cinco vezes mais chances de desenvolver a doença. “Lógico que isso depende também da quantidade de cigarros que ele consome. Então, quando falamos de câncer de bexiga é importante também aderirmos às campanhas contra o tabagismo, estimulando a população a parar de fumar”, declarou. Cigarro Massetti explicou que o cigarro tem vários componentes que induzem ao câncer. Depois que o indivíduo fuma e os carcinógenos caem na corrente sanguínea, eles passam pelo rim e são depositados na bexiga. “A parte interna da bexiga fica em contato íntimo com esses agentes cancerígenos por mais tempo, porque ficam armazenados até a pessoa urinar”, acentuou. Sabe-se, ainda, que esse o câncer de bexiga atinge principalmente pessoas na terceira idade, com aumento da …

Clipping
Eletrobras anuncia lucro de R$ 2,7 bilhões no primeiro trimestre

A Eletrobras anunciou ter obtido lucro líquido de R$ 2,7 bilhões no primeiro trimestre de 2022. O resultado, divulgado nesta segunda-feira (16), é 69% superior ao mesmo período de 2021 e foi impactado positivamente pelo aumento de 12% da receita bruta, e também pelo desempenho financeiro da companhia, com destaque para o efeito positivo da variação cambial. Também contou para o resultado positivo a redução em 3,4% do custo de PMSO – que responde pelos itens pessoal (P), material (M), serviços de terceiros (S) e outras despesas (O). Por outro lado, houve registro de R$ 1,2 bilhão em provisões para crédito de liquidação duvidosa, decorrente da inadimplência da distribuidora Amazonas Energia. A receita operacional líquida apresentou crescimento de 12%, influenciada pelo reajuste de contratos bilaterais e das receitas de transmissão, aumento das tarifas fixas de Angra I e II e melhor performance da UTE Candiota III. A redução da dívida líquida da companhia em 4,6% é outro ponto positivo do trimestre, mantendo a relação dívida líquida/Ebitda recorrente igual a 1, reforçando o foco da empresa em disciplina financeira e liquidez, encerrando o trimestre com um caixa consolidado de R$ 15 bilhões. As provisões para contingências no período ficaram em R$ 671 milhões, sendo R$ 300 milhões relacionados ao empréstimo compulsório. A Eletrobras concluiu o trimestre com capacidade instalada de 50.491 megawatts (MW), o equivalente a 28% da geração de energia elétrica do país, enquanto no segmento de transmissão a companhia detém cerca de 40% das linhas do Brasil. Fonte: EBC