Grito dos Excluídos e desfile de ciclistas nus apresentam reivindicações dos recifenses no Dia da Independência

faaaa0f3337ba256ff1e21e0511fc423.jpg

Passe livre, reforma política e melhorias nos sistemas de saúde e educação voltam à pauta de reivindicações dos recifenses neste sábado (7), Dia da Independência. Dois meses e muitas manifestações depois do protesto que levou pelo menos 52 mil pessoas ao Centro da capital pernambucana, movimentos sociais reúnem-se para voltar às ruas no Grito dos Excluídos, que completa 19 anos este ano. Simultaneamente, ativistas fazem o primeirodesfile ciclístico nu de 7 de setembro.

O Grito dos Excluídos tem concentração às 9h, na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Soledade, na área central. Após manifestação cultural sobre o tema deste ano – Juventude que ousa lutar constrói o projeto popular -, grupos religiosos progressistas, movimentos sociais, centrais sindicais e a recém-criada Frente de Luta pelo Transporte Público saem, às 10h, pela Avenida Conde da Boa Vista, no bairro de mesmo nome. O destino é a Basílica de Nossa Senhora do Carmo, em Santo Antônio, ainda no Centro. A expectativa da organização é que pelo menos mil pessoas participem da manifestação.Mapa_Grito
O ato começa na Praça Oswaldo Cruz e termina ao lado da Feira de Flores (Fonte: Google Maps)

O objetivo do Grito dos Excluídos é mostrar a força das organizações populares. “Fazemos uma demonstração simbólica da força do próprio povo, construída quando ele se organiza”, explica o coordenador do ato, Eduardo Mara.

Para ele, este é um ano atípico de lutas. “Vimos que há muita gente querendo uma mudança e queremos debater com essa nova geração de jovens que foram para as ruas (em manifestações desde junho) um projeto de nação soberana”, afirma. Essa soberania, para Mara, vem através das reivindicações dos grupos que participaram da onda nacional de manifestações através do #vemprarua: reforma política, melhorias em saúde e educação e debate sobre democratização da mídia.

Para a Central Única de Trabalhadores (CUT) em Pernambuco, também estão na pauta questões como o fim do fator previdenciário; a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem perdas salariais; além de mais investimentos em saúde e educação. “Seja por qualquer meio – plebiscito, propostas no Congresso -, o importante é que ocorra a reforma política”, defende o presidente da central sindical no Estado, Carlos Veras.

Este ano, o Grito dos Excluídos conta com a participação da recém-criada Frente de Luta pelo Transporte Público. O grupo, que organizou sete protestos no Recife em prol da implantação da gratuidade para estudantes e desempregados no transporte coletivo no Grande Recife e melhorias no setor, compõe o Bonde do Passe Livre.

facebook_frente
A Frente faz o Bonde do Passe Livre (Foto: Reprodução/Facebook)

“O Grito é um espaço que reúne as forças políticas que historicamente participaram da luta de esquerda, onde devemos estar. Antes, já tínhamos os comitês contra o aumento da passagem (de ônibus), mas este ano estamos de maneira mais organizada”, diz uma das lideranças da Frente, Pedro Josephi. O grupo pretende levar máscaras com o rosto do governador Eduardo Campos e do atual secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, o que já foi alvo depolêmicas nos últimos protestos.

CICLISTAS NUS – Um motivo de controvérsia entre as manifestações deste sábado (7) é o passeio ciclístico nu proposto pela Frente de Ativismo do Recife Criativo (Farc). Com concentração às 8h, em frente ao Monumento Tortura Nunca Mais, na Rua da Aurora, no Centro do Recife, a mobilização quer “problematizar a moral e a legalidade”, segundo a página do ato no Facebook.

O debate é baseado no questionamento dos manifestantes sobre os tabus com uma imoralidade da nudez, afirmando que é mais imoral, por exemplo, a corrupção na política. “É chamar atenção para o contexto de hipocrisia moral que vige na nossa organização social, que se importa com o suposto e infundado ‘atentado ao pudor’, ou ‘ato obsceno’, mas que ao mesmo tempo fecha os olhos à discriminação, ao assédio, a formas alternativas de transporte, à exploração capitalista, a miséria”, explica a página da Farc na rede social.

ciclistasnus
Os manifestantes querem fazer uma reflexão sobre a imoralidade (Foto: Divulgação)

O evento tinha mais de 350 presenças confirmadas na manhã desta sexta-feira (6). Apesar de seguir o exemplo de manifestações já realizadas pelo mundo, de usar o corpo como forma de protesto e sair nus, a proposta é estar “tão nu quanto você ousar”, chamando também aqueles que não querem sair nus a protestar.

Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Secretaria de Defesa Social (SDS) já avisaram essa semana que quem estiver nu em lugares públicos pode ser preso. “Não se trata de ameaça, mas vamos estar vigilantes. Está no código penal, é crime”, afirmou o procurador criminal José Lopes Filho na JC News.

Fonte: NE10

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Presidente: aumento do Auxílio Brasil pode superar efeitos da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (24) que o aumento dos índices de inflação tem, entre suas causas, problemas decorrentes do isolamento social, medida de combate à pandemia que, segundo ele, acabou por prejudicar a economia do país. Segundo o presidente, uma medida que pode ajudar na superação desses efeitos negativos causados pela pandemia na economia é o aumento no valor do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600. As declarações foram feitas durante a cerimônia de inauguração dos Residenciais Canaã I e II, em João Pessoa (PB). De acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, está acumulado em 12,04%, nos últimos 12 meses.

Clipping
Saúde amplia público da campanha de vacinação contra gripe

O Ministério da Saúde informou que a partir de amanhã (25) os estados e municípios poderão ampliar a campanha contra a gripe para toda a população a partir de 6 meses de vida, enquanto durarem os estoques da vacina contra a influenza. Segundo o ministério, a ideia é que a ampliação na vacinação evite casos de complicações decorrentes da doença e impeça eventuais mortes e uma possível “pressão sobre o sistema de saúde”. A campanha nacional de imunização contra a influenza começou no dia 4 de abril. O Ministério da Saúde já distribuiu para estados e o Distrito Federal as 80 milhões de doses contratadas para imunizar a população brasileira. Até o momento, a mobilização contra a doença atingiu 53,5% de cobertura vacinal. Hoje (24), os pontos de vacinação atenderam exclusivamente pessoas que pertencem ao público-alvo da campanha, entre crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, indígenas e idosos. Quem faz parte do público-alvo e ainda não se imunizou, também poderá se vacinar após a ampliação da campanha. Para tomar o imunizante da gripe, basta ir a qualquer posto de vacinação. Fonte: EBC

Clipping
Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve a bandeira verde em julho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Com a decisão, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês. É o terceiro o anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica, que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia. Caso houvesse a instituição das outras bandeiras, a conta de luz refletiria o reajuste de até 64% das bandeiras tarifárias aprovado nesta semana pela Aneel. Segundo a agência, os aumentos são devido à inflação e ao maior custo das usinas termelétricas neste ano, decorrente do encarecimento do petróleo e do gás natural nos últimos meses. Bandeiras Tarifárias Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias. Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre acréscimos que variam de R$ 2,989 (bandeira amarela) a R$ 9,795 (bandeira vermelha patamar 2) a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima. Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel. Fonte: UOL