Igrejas centenárias ameaçam desabar no interior de SP

Altar da igreja São José da Vila Real, em Pindamonhangaba, é herança da capela de 1680Por fora há pichações, telas de proteção, tapumes e placas que indicam ruas interditadas. Dentro, rachaduras, paredes inclinadas e altares ameaçados por cupins.

Igrejas centenárias, tombadas pelo patrimônio histórico, tiveram que fechar as portas no interior de São Paulo por falta de segurança -e até risco de desabamento.

A reportagem encontrou sete dessas igrejas em cidades como Pindamonhangaba, Taubaté, Redenção da Serra, Aparecida e Mogi Mirim. São estruturas de taipa de pilão (barro e madeira) erguidas nos séculos 18 e 19 -a mais antiga soma 266 anos.

Parte dos imóveis ameaça desabar e depende de escoras para ficar de pé. A outra espera manutenção, pois há riscos à segurança do patrimônio. Apenas uma está em obras, em São Luiz do Paraitinga.

Em Pindamonhangaba, quem se aproxima da igreja São José da Vila Real, no centro, já não consegue ver o altar de madeira, herança da capela de 1680. De portas fechadas, está abandonada. Duas ruas laterais foram interditadas. Por dentro, o imóvel, de paredes decoradas, tem rachaduras e infiltrações.

Até uma placa que aponta o túmulo de membros da guarda de Dom Pedro 1º (1798-1834) está quebrada.

“A igreja está cedendo. Tem trincas, infestação de cupins e escoras para evitar dano maior”, diz a arquiteta Rosângela Biasolli, uma das responsáveis pelo projeto de restauro, ainda sem recursos.

O cenário se repete em outras cidades. Em Taubaté, uma intervenção emergencial em julho não foi suficiente para que a igreja do Rosário, fechada há três anos, abrisse as portas. A estrutura, de 1882, tem duas paredes laterais inclinadas e com rachaduras. A madeira que suportava o piso de uma área superior apodreceu e caiu.

Editoria de arte/Folhapress

Sem visitantes, a igreja é usada como depósito: uma TV, por exemplo, “repousa” em frente ao altar. “Se ela não for restaurada, corre o risco de desabar”, diz Lilian Mansur, diretora da Fundação Dom Couto, que busca verbas e parcerias para o projeto de restauro, estimado em R$ 499 mil.

A seis quadras dali, a Capela do Pilar, construída em 1747 e considerada como ponto de encontro de bandeirantes à época, se esconde por trás de tapumes de proteção.

O Condephaat (órgão estadual de defesa do patrimônio) e os demais departamentos de patrimônio dizem que a manutenção é responsabilidade dos donos dos locais.

Em outros casos, a ameaça não é só o tempo. Foi o que ocorreu em Mogi Mirim, onde uma estrutura anexa à igreja Nossa Senhora do Carmo desabou há 18 meses – uma construção em terreno vizinho teria motivado o desabamento. A igreja tombada de 1840 também não ficou como antes: uma parede inclinou e as outras racharam. Está fechada desde então.

No fim de agosto, a construtora Azevedo Marques, responsável pela obra do edifício, aceitou pagar os reparos. A obra ainda não tem prazo.

Fonte: Folha.com

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Milhões correm risco de desnutrição com alta do preço do trigo

A guerra na Ucrânia, que paralisou as exportações de trigo do país, manterá os preços globais altos na temporada 2022/23, colocando milhões de pessoas em risco de desnutrição, disseram a agência de alimentos da Organização das Nações Unidas e a OCDE nesta quarta-feira (29). A Rússia e a Ucrânia são o primeiro e o quinto maiores exportadores de trigo do mundo, respondendo por 20% e 10% das vendas globais, respectivamente, mas a invasão da Ucrânia pela Rússia e o fechamento do Mar de Azov e do Mar Negro praticamente interromperam as exportações. As exportações de grãos da Ucrânia estão atualmente em apenas 20% da capacidade, já que os canais alternativos, como ferroviário e rodoviário, não são tão eficientes quanto as rotas marítimas, disseram a Organização para Agricultura e Alimentação (FAO) e a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). As projeções da FAO/OCDE sugerem que os preços do trigo em 2022/23 podem ficar 19% acima dos níveis pré-guerra se a Ucrânia perder totalmente sua capacidade de exportação e 34% mais altos se, além disso, as exportações da Rússia forem reduzidas pela metade. A temporada 2022/23 começa em 1º de julho no Hemisfério Norte. “Com a segurança alimentar já sob pressão, as consequências seriam terríveis, especialmente para os mais vulneráveis”, disse o secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, durante uma apresentação do FAO/OCDE Agricultural Outlook 2022-2031. Cerca de 20 milhões de toneladas de grãos deveriam deixar a Ucrânia até o final do próximo mês para dar espaço às safras deste ano e evitar a escassez de alimentos na África, disse a Comissão Europeia no mês passado. As negociações diplomáticas estão em andamento para abrir uma rota marítima alternativa. Se as exportações russas fossem afetadas, a desnutrição aumentaria cerca de 1% globalmente em 2022/23, o equivalente a cerca de 8 milhões a 13 milhões de pessoas, dependendo da suposta gravidade da redução das exportações, disse a FAO em um estudo separado. Um cenário que simula um grave déficit de exportação da Ucrânia e da Rússia continuando em 2022/23 e 2023/24, e assumindo nenhuma resposta de produção global, sugere um aumento no número de desnutridos em cerca de 19 milhões de pessoas em 2023/24.

Clipping
Governo de Pernambuco já repassou R$ 96 milhões para assistência às vítimas das chuvas

Estado também investiu cerca de R$ 25 milhões na regularização do abastecimento de água nos municípios atingidos e na recuperação de estradas O Governo do Estado liberou R$ 124,7 milhões para o pagamento do Auxilio Pernambuco às vítimas das chuvas. Desse total, R$ 96 milhões já foram repassados a 16 municípios, beneficiando 64 mil famílias. Outros 15 municípios estão em processo de apresentação de documentos para obter o dinheiro. Além dos recursos assistenciais, o Governo de Pernambuco investiu outros R$ 25 milhões, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e da Compesa, no restabelecimento da circulação de veículos e pedestres nas rodovias estaduais e na regularização do abastecimento de água nos municípios atingidos pelos temporais. “Nossas equipes têm trabalhado para minimizar os danos materiais das chuvas e para conceder assistências às famílias das vítimas”, afirmou o governador Paulo Câmara. Por recomendação do governador, a Compesa também suspendeu, pelo período de 90 dias, a cobrança da tarifa às famílias diretamente atingidas pelas fortes chuvas na Região Metropolitana do Recife, Agreste e Zona da Mata.

Clipping
Resolução regulamenta telemedicina veterinária no país

Resolução do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) que regulamenta o uso de telemedicina para a prestação de serviços veterinários foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (29). Além de apresentar definições técnicas sobre o exercício profissional da telemedicina veterinária, a Resolução nº 1.465 detalha padrões técnicos e tecnológicos que serão adotados para este fim. Apresenta também requisitos para o uso das modalidades previstas para atendimentos a distância. Segundo o CFMV, “o profissional pode desenvolver aplicativo específico para a telemedicina ou fazer o uso integrado de plataformas existentes, desde que respeitados os critérios e as garantias estabelecidos na resolução, registrando em prontuário a tecnologia empregada no atendimento”. De acordo com a resolução, o atendimento presencial é o “padrão ouro para a prática dos atos médicos veterinários”, de forma a assegurar, ao profissional, autonomia de decisão quanto ao uso da telemedicina veterinária, inclusive sobre a sua impossibilidade. O médico veterinário deverá “decidir com livre arbítrio e responsabilidade se as informações recebidas são qualificadas dentro de condições éticas e de protocolos de segurança digital suficientes para a realização do ato médico veterinário”, diz a resolução. Entre as modalidades previstas para esse tipo de telemedicina estão as de teleconsulta, telemonitoramento, teletriagem, teleorientação, teleinterconsulta (entre veterinários, para troca de informações e opiniões) e telediagnóstico. Cada uma delas teve suas especificidades detalhadas pela resolução. Com relação às prescrições, a resolução prevê que os receituários de medicamentos sujeitos a controle especial somente serão válidos quando subscritos com assinatura eletrônica qualificada, por meio de certificado digital. Devem também seguir as normas editadas pelos órgãos e entidades reguladores específicos, como é o caso dos ministérios da Saúde; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).