Pernambuco na disputa por centro de distribuição e fábrica da P&G

A maior multinacional de consumo do mundo, a Procter&Gamble (P&G), quer ampliar sua participação no Nordeste. O primeiro passo é a construção de um centro de distribuição (CD) na região, mediante um investimento de R$ 40 milhões. Porém, os planos do grupo vão além e incluem, em um prazo máximo de dez anos, a construção de uma fábrica, cujo projeto está orçado em R$ 150 milhões. Pernambuco disputa os dois projetos.

O estado é um dos favoritos para sediar o centro e a primeira fábrica nordestina da multinacional. Pernambuco sai na frente por conta do Porto de Suape, por onde será realizado todo o escoamento da produção. Mas não é o único estado que está de olho no investimento: o negócio está sendo disputado por Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia e Ceará.

Nos bastidores, o que se comenta é que ontem executivos da marca estiveram reunidos com representantes do governo do estado. Por aqui, eles analisaram terrenos, públicos e privados, em um raio de até 100 quilômetros do ancoradouro para, no primeiro momento, instalarem o Centro de Distribuição. As principais possibilidades estão em Sirinhaém, Palmares, Ribeirão e Glória do Goitá. O município de Goiana está descartado, por já abrigar a fábrica da Fiat e das sistemistas, cujos aportes ultrapassam a casa dos R$ 7 bilhões.

Por aqui, os primeiros passos da negociação foram dados em abril, quando o governador Eduardo Campos encontrou o presidente da empresa no Brasil, Alberto Carvalho, na Bahia. Os dois participaram do 12º Fórum de Comandatuba, evento do Lide (Grupo de Líderes Empresariais) que reúne anualmente empresários e políticos.

Para o próximo ano, os planos do grupo incluem a inauguração de uma nova fábrica no município de Seropédica, no Rio de Janeiro. O projeto nordestino só será tocado após esta inauguração.

A P&G possui operações em aproximadamente 75 países. O portfólio do grupo inclui marcas mundialmente conhecidas, como Pampers, Ariel, Always, Pantene, Mach3, Downy, Iams, Oral-B, Duracell, Olay, Head & Shoulders, Wella, Gillette, Fusion, Ace, Febreze e Vick.

Fonte: Diario de PE

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Gonzaga Patriota consegue liberar orçamento para ajudar Polícia Rodoviária Federal

Em razão do corte orçamentário, a Polícia Rodoviária Federal, que antes apoiava o atual presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), está hoje, em sua grande maioria, apoiando o candidato Lula (PT), com 33% desse apoio. Na PRF, 43% não votam nem em Bolsonaro, nem em Lula, 14% revelaram que votarão em branco/nulo e apenas 10% seguem favorecendo o atual presidente. O deputado federal Gonzaga Patriota, como relator setorial de Mulheres, Crianças e Especiais na Comissão Mista de Orçamentos e, junto aos Sindicatos, Federação e Confederação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), conseguiu com o relator geral, Hugo Leal, a locação de um bilhão e setecentos milhões de reais (R$1,7 bilhão), no orçamento de 2021/2022, a fim de resolver parte das perdas da PRF, em salários não majorados. Em razão do corte orçamentário, a Polícia Rodoviária Federal, que antes apoiava o atual presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), está hoje, em sua grande maioria, apoiando o candidato Lula (PT), com 33% desse apoio. Na PRF, 43% não votam nem em Bolsonaro, nem em Lula, 14% revelaram que votarão em branco/nulo e apenas 10% seguem favorecendo o atual presidente.

Clipping
Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje

Restrições para servidores públicos e pré-candidatos às eleições de outubro passam a valer a partir de hoje (2), três meses antes do primeiro turno.  As medidas estão previstas na Lei nº 9.504/1997, conhecida como Lei das Eleições, e objetivam manter o equilíbrio entre os candidatos.  Políticos estão proibidos de autorizar a veiculação de publicidade estatal sobre os atos de governo, realização de obras, campanhas de órgãos públicos federais, estaduais e municipais, exceto no caso de grave e urgente necessidade pública. Nesse caso, a veiculação deverá ser autorizada pela Justiça Eleitoral.  Eles também não podem fazer pronunciamento oficial em cadeia de rádio de televisão, salvo em casos de questões urgentes e relevantes, cuja autorização também dependerá de autorização da Justiça Eleitoral.   A participação em inaugurações de obras públicas também está vedada, além da contratação de shows artísticos com dinheiro público.  Durante o período eleitoral, funcionários públicos não podem ser contratados, demitidos ou transferidos até a posse dos eleitos.  No entanto, estão liberadas a exoneração e a nomeação de cargos em comissão e funções de confiança, além das nomeações de aprovados em concursos públicos homologados até 2 de julho de 2022.  Em julho, o calendário eleitoral também prevê outras datas importantes para o pleito.  De 20 de julho até 5 de agosto, os partidos deverão realizar suas convenções para escolher oficialmente os candidatos que vão disputar as eleições.  A partir do dia 20, candidatos, partidos políticos, coligações e federações terão direito à solicitação de direito de resposta por afirmações consideradas caluniosas, difamatórias ou sabidamente inverídicas que forem publicadas por veículos de comunicação social.  O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno  para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro.  Fonte EBC

Clipping
Brasil ganha 4,3 milhões de eleitores desde 2020

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra, hoje, 152 milhões de brasileiros aptos a votar. O número é 2,9% maior do que a quantidade de eleitores em 2020, quando 147 milhões de pessoas podiam ir às urnas. Esse também é o patamar mais alto desde 2008, ano do primeiro registro histórico listado nas estatísticas do TSE. Nesses últimos 14 anos, o número máximo de eleitores havia sido alcançado em 2019 — 147,8 milhões. A evolução do número de aptos ao voto só registrou queda em 2020, quando houve redução de quase 2 milhões de votantes em relação ao ano anterior. A maior parte da população habilitada ao pleito de outubro tem entre 45 a 59 anos, é mulher e possui ensino médio completo. Ao todo, 53% da população que deve ir às urnas em outubro é do gênero feminino, 26,72% tem grau de instrução até o ensino médio e 22,87% têm ensino fundamental incompleto. Entre jovens de 16 e 17 anos, público-alvo de campanhas de incentivo ao título de eleitor neste ano, são mais de 2,5 milhões de aptos. Os dados contribuem para entender como será definida a eleição marcada para exatos 93 dias. Confira datas importantes do calendário eleitoral: Confira datas importantes do calendário eleitoral: