Projeto de lei quer proibir transmissão de lutas de MMA

Um projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados proíbe as emissoras de televisão de transmitirem lutas marciais não olímpicas. Caso aprovado, campeonatos de artes marciais mistas (MMA) não poderão ser veiculados no país. A norma inclui o Ultimate Fighting Championship (UFC), principal torneio mundial de MMA, com 1 bilhão de espectadores em todo o mundo, segundo a Comissão Atlética Brasileira de MMA.

O Projeto de Lei (PL) 55.344/09 foi debatido hoje (27) no seminário O MMA e a Televisão: Entretenimento, Formação da Cidadania ou Banalização da Violência? na Câmara dos Deputados. O PL aguarda parecer da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados e ainda tem que passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Casa.

O projeto prevê uma multa de R$ 150 mil à emissora que descumprir a lei. Caso reincida, a multa dobra de valor e, caso haja nova reincidência, a emissora perde o direito à concessão pública, ou seja, perde o canal de TV. O PL exclui, no entanto, as lutas marciais não olímpicas não violentas. A capoeira, por exemplo, poderia ser transmitida. Estariam sujeitos à lei os canais da TV aberta e da TV paga.

“É importante tirar essa luta da TV, porque a única lição que ela propagandeia é a violência. São golpes violentos, joelhadas, golpes violentos no rosto e onde o sangue é o suor, como dizem aqueles que gostam do MMA”, diz o deputado José Mentor (PT-SP). “Pesquisas feitas no exterior mostram que a TV influencia a juventude. Antes [do MMA] você via briga de escola, mas não via joelhada no estômago como há hoje”.

O deputado nega que o projeto seja censura e compara a veiculação de lutas violentas a veiculação de propagandas de cigarro – proibidas em revistas, jornais, outdoors, televisão e rádios desde o ano 2000.

O presidente da Confederação Brasileira de Artes Marciais Mistas (CBMMA), Elísio Cardoso Macambira, defende a prática como esporte. Segundo ele, 1 milhão de pessoas praticam o MMA no Brasil. “O praticante é um superatleta. Tem um treinamento muito rígido, de 12 horas por dia, adquire músculos. Quando entra para lutar, ele tem condições de aguentar os golpes do adversário”, diz. Macambira acrescenta que os campeonatos profissionais seguem uma série de normas de segurança para os praticantes e também para quem assiste às lutas. O próprio MMA não é, segundo ele, uma prática sem regras. No ringue, há restrições que protegem os competidores, como a proibição de golpes na nuca e nas genitálias.

No Brasil, o UFC é transmitido ao vivo no canal de TV a cabo, Canal Combate, e, pela Globo, de madrugada. Segundo matéria publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, o acordo de transmissão das lutas de UFC firmado pela Globo e pelo Canal Combate pode render de R$ 771 milhões a R$ 1 bilhão. O contrato se estende até 2022 e afasta a possibilidade de outra emissora ter, em um futuro próximo, os direitos de transmissão. Na reportagem, a Globo não se manifestou.

O deputado Magno Malta (PR – ES) disse que outros esportes transmitidos ao vivo são tão violentos quanto as lutas de MMA. “Nós assistimos a morte de Ayrton Senna na Fórmula 1 ao vivo”. Segundo ele, seria necessário proibir também outras transmissões para que se justificasse a proibição do MMA.

A declaração foi apoiada pelo deputado Acelino Freitas (PRB – BA), o Popó. O ex-lutador de boxe defendeu as transmissões e o esporte como forma de inclusão social. “Proibir a transmissão é proibir o esporte. O patrocinador só tem interesse se houver divulgação e, sem dinheiro, o esporte acaba”, diz. “Temos muitos nomes do MMA que mudaram, com a prática, a própria vida e a vida de muitas pessoas”.

O MMA é um esporte que mistura técnicas de várias artes marciais. A modalidade começou no Brasil, quando os irmãos Hélio e Carlos Gracie, um dos fundadores do jiu-jitsu brasileiro, desafiava competidores de várias modalidades para lutas sem regras. Um dos filhos de Hélio, Rórion, organizou a primeira edição do UFC em 1993. Anos mais tarde, o UFC foi vendido para seus atuais proprietários, os norte-americanos Lorenzo e Frank Fertitta e Dana White.

Pela classificação indicativa, definida pelo Ministério da Justiça, o MMA é considerado inapropriado a menores de 18 anos – a máxima classificação -, podendo ser veiculado das 23h às 6h na TV aberta.

Fonte: Administradores.com.br

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Casos de Covid em Petrolina, número de pessoas positivadas pode ser bem maior

Não é nenhuma surpresa o que estamos presenciando após a festa de São João em Petrolina. O grande número de pessoas testando positivo para a doença já era esperado devido as grandes aglomerações de pessoas, sobretudo no Pátio de Eventos. Está sendo assim em Petrolina e não será diferente nas demais cidades que realizaram o evento junino. O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde nessa terça-feira (28) registrou 243 casos de Covid-19. Foram realizados 605 testes no polo montado pela secretaria. No entanto, há uma subnotificação,  muitas pessoas estão adquirindo os testes rápidos e realizando o procedimento em suas residências, ficando fora das estatistas oficiais do município. Os postos de testagens estão lotados, é muita gente com os sintomas da Covid 19: febre, coriza, dor de cabeça, tosse e etc. Por outro lado, informações dão conta que muitos profissionais da saúde também testaram positivo para a Covid e estão isolados em suas residências, sendo essa uma das grandes preocupações da gestora da saúde em colocar um maior números de profissionais para atender à população. Fonte: Waldiney Passos

Clipping
Funase abre seleção de agente socioeducativo com 19 vagas para Petrolina (PE); salário chega a R$ 1.584

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) abre seleção temporária para preencher 133 vagas de agentes socioeducativos nas unidades de Vitória de Santo Antão, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina. A seleção, de nível médio, se dará por análise de experiência profissional e de títulos, em etapa classificatória e eliminatória. Os contratos irão durar um ano e podem ser prorrogados até, no máximo, seis anos. As inscrições começam na próxima sexta-feira (1º) exclusivamente pelo site www.institutodarwin.org e seguem até 28 de julho. A taxa custa R$ 28,63 e deve ser paga via boleto bancário em qualquer agência bancária. Os agentes socioeducativos terão carga horária de regime de plantão, numa escala de 24 horas de serviço por 72 horas de descanso – incluindo sábados, domingos e feriados. O salário mensal é de R$ 1.584. A maioria das vagas é para Caruaru, onde há 57 vagas regulares e quatro para pessoas com deficência. Em Garanhuns, são 27 vagas regulares e duas pessoas com deficiência. Já em Petrolina são ao todo 19 vagas, sendo 18 regulares e uma para pessoa com deficiência. Em Vitória de Santão, há 15 vagas regulares e um reservada para pessoa com deficiência. E em Arcoverde, são sete vagas regulares e uma para pessoas com deficiência. A divulgação do resultado preliminar está marcada para 15 de agosto. O resultado final será publicado em 24 de agosto. Fonte: Edenevaldo Alves

Clipping
Governo conclui pagamento da parcela de junho do Auxílio Brasil

A Caixa Econômica Federal conclui hoje (30) o pagamento da parcela de junho do programa Auxílio Brasil. Recebem nesta quinta-feira os beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 0. O valor mínimo do benefício é R$ 400. As datas seguem o modelo do Bolsa Família que pagava nos dez últimos dias úteis do mês. O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco. Atualmente, 17,5 milhões de famílias são atendidas pelo programa. No início do ano, 3 milhões foram incluídas no Auxílio Brasil.  Veja o calendário: NIS jun jul ago set out nov dez 1 17/06 18/07 18/08 19/09 18/10 17/11 12/12 2 20/06 19/07 19/08 20/09 19/10 18/11 13/12 3 21/06 20/07 22/08 21/09 20/10 21/11 14/12 4 22/06 21/07 23/08 22/09 21/10 22/11 15/12 5 23/06 22/07 24/08 23/09 24/10 23/11 16/12 6 24/06 25/07 25/08 26/09 25/10 24/11 19/12 7 27/06 26/07 26/08 27/09 26/10 25/11 20/12 8 28/06 27/07 29/08 28/09 27/10 28/11 21/12 9 29/06 28/07 30/08 29/09 28/10 29/11 22/12 0 30/06 29/07 31/08 30/09 31/10 30/11 23/12 Auxílio Gás Termina também hoje o pagamento da parcela de abril do Auxílio Gás. Recebem as famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com NIS final 0. O benefício segue o calendário regular de pagamentos do Auxílio Brasil. Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,5 milhões de famílias até o fim de 2026, com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos, conforme valor calculado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Neste mês, o benefício corresponde a R$ 53. Pago a cada dois meses, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão para este ano. Só pode fazer parte do programa quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica. Benefícios básicos O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas, científicas ou acadêmicas. Podem receber o benefício as famílias com renda per capita até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e até R$ 200, em condição de pobreza. A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o Auxílio Brasil. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para integrar o programa social e o detalhamento dos nove tipos diferentes de benefícios. * O Auxílio Brasil é coordenado pelo Ministério da Cidadania, responsável por gerenciar os benefícios do programa e pelo envio dos recursos para pagamento da Caixa. Fonte: uol