Hormônio que diminui a fome é ineficaz em obesos

mulher-gorda-obesidade-sobrepeso-dieta-size-598O hormônio conhecido como glucagon é um dos responsáveis por ajudar a controlar o apetite das pessoas. No entanto, ele perde a sua capacidade de ativar a sensação de saciedade em obesos, segundo revelou um novo estudo feito na Alemanha. A descoberta, que pode ajudar a explicar a grande dificuldade que indivíduos com excesso de peso têm em emagrecer, foi publicada nesta terça-feira no periódico The Endocrine Society Clinical Endocrinology & Metabolism.

O glucagon é secretado pelo pâncreas e a sua principal função no organismo é sinalizar ao corpo que os níveis de glicose no sangue estão baixos e que é preciso liberar o açúcar que está armazenado. É um papel oposto ao da insulina, hormônio também secretado pelo pâncreas, mas que tem como função diminuir a taxa de glicose na corrente sanguínea quando ela está alta.

Há cada vez mais evidências de que o glucagon também desempenha um papel importante na regulação do apetite. Aparentemente, ele envia ao corpo o sinal de que é preciso reduzir a secreção de hormônios que aumentam a fome, como a grelina. “Uma vez que uma pessoa se torna obesa, o glucagon não as induz mais à sensação de saciedade”, diz o coordenador do estudo, Ayman Arafat, pesquisador do Charité-University Medicine, em Berlim, um dos maiores hospitais universitários da Europa.

A pesquisa de Arafat foi feita com 11 pessoas obesas, 13 pessoas com diabetes tipo 1 e 13 pessoas saudáveis e magras. O objetivo de analisar indivíduos com diabetes tipo 1 era saber se esta doença interfere na ação do glucagon. Isso porque, em pessoas com a condição, o pâncreas não produz quantidade suficiente de insulina, então os pesquisadores queriam saber se a doença também prejudicava a produção do glucagon — o que não aconteceu. Ou seja, os problemas com a resposta a esse hormônio acontecem exclusivamente devido ao excesso de peso.

No estudo, os participantes receberam injeções de glucagon e de placebo. Eles relataram se estavam com fome e a equipe também analisou seus níveis de grelina para medir o apetite dos voluntários. De acordo com os resultados, a sensação de saciedade entre os participantes obesos foi a mesma tanto quando eles receberam o glucagon quanto o placebo. Ou seja, eles não responderam ao hormônio. No entanto, os outros voluntários relataram sentir significativamente mais saciedade quando receberam o hormônio em comparação com o placebo.

“Embora agentes que influenciam o glucagon e outros hormônios sejam considerados como um caminho promissor para as pesquisas sobre obesidade, o nosso estudo sugere que terapia envolvendo o glucagon pode ser ineficaz em reduzir o apetite de pessoas obesas”, diz Arafat.

Fonte: Revista Veja

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clipping
Governo federal trava demarcação de terras indígenas há dois anos

Última homologação ocorreu na gestão Dilma. Do orçamento executado destinado à rubrica em 2017, apenas 5,2% foram para investimentos     Território sagrado localizado a 11km do Congresso Nacional, o Santuário dos Pajés, área de 50 hectares vizinha ao Setor Habitacional Noroeste, é o centro de um conflito que há 10 …

Clipping
STJ envia recurso de Lula ao Supremo

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, encaminhou para análise do Supremo Tribunal Federal (STF) um recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra uma decisão do STJ que negou em março habeas corpus ao petista. O pedido, negado por unanimidade pela Quinta …

Clipping
Toffoli nega pedido de Dirceu para evitar prisão após 2ª instância

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli negou hoje (19) pedido feito pela defesa do ex-ministro José Dirceu para evitar eventual prisão após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça Federal. Dirceu foi condenado a 30 anos e nove meses de prisão pelos crimes de corrupção, …