Após problemas técnicos, inscrições para 314 vagas na Anvisa são prorrogadas

Quem ainda não conseguiu se inscrever no concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com oferta de 314 oportunidades para níveis médio e superior, pode respirar aliviado. A Cetro, empresa organizadora da seleção, prorrogou até domingo (14) o período para participação dos candidatos. O prazo foi estendido por conta de problemas eletrônicos no site da banca. O edital de retificação deve sair no Diário Oficial da União desta quinta-feira (10).

Interessados podem se inscrever pelo site www.cetroconcursos.org.br. A taxa varia de R$ 50 a R$ 70. Remunerações variam de R$ 4.760,18 a R$ 10.019,20 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Os aprovados trabalharão em Brasília (DF). Quem tem diploma de nível médio pode tentar os postos de técnico administrativo e técnico em regulação.

Graduados, por sua vez, tem chances nos postos de analista administrativo (administração, economia, ciências contábeis, direito, engenharia civil, tecnologia da informação, pedagogia e psicologia) e especialista em regulação (engenharia elétrica, engenharia mecânica, engenharia de materiais, engenharia de produção, engenharia química, química, física, enfermagem, farmácia, medicina, biologia, biomedicina, nutrição, medicina veterinária, fisioterapia e odontologia). Neste caso, também haverá chances para quem é formado em qualquer curso de nível superior reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Haverá, para todos os cargos, provas objetivas e discursivas, marcadas para 2 de junho. Candidatos de nível superior também passarão por avaliação de títulos, e caso sejam aprovados nesta etapa, por curso de formação profissional com carga de até 160 horas.

A primeira fase do concurso será aplicada nas capitais Recife/PE, Aracaju/SE, Belém/PA, Belo Horizonte/MG, Boa Vista/RR, Brasília/DF, Campo Grande/MS, Cuiabá/MT, Curitiba/PR, Florianópolis/SC, Fortaleza/CE, Goiânia/GO, João Pessoa/PB, Macapá/AP, Maceió/AL, Manaus/AM, Natal/RN, Palmas/TO, Porto Alegre/RS, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, São Luís/MA, São Paulo/SP, Teresina/PI e Vitória/ES.

Fonte: Correio Web

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Gonzaga Patriota consegue liberar orçamento para ajudar Polícia Rodoviária Federal

Em razão do corte orçamentário, a Polícia Rodoviária Federal, que antes apoiava o atual presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), está hoje, em sua grande maioria, apoiando o candidato Lula (PT), com 33% desse apoio. Na PRF, 43% não votam nem em Bolsonaro, nem em Lula, 14% revelaram que votarão em branco/nulo e apenas 10% seguem favorecendo o atual presidente. O deputado federal Gonzaga Patriota, como relator setorial de Mulheres, Crianças e Especiais na Comissão Mista de Orçamentos e, junto aos Sindicatos, Federação e Confederação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), conseguiu com o relator geral, Hugo Leal, a locação de um bilhão e setecentos milhões de reais (R$1,7 bilhão), no orçamento de 2021/2022, a fim de resolver parte das perdas da PRF, em salários não majorados. Em razão do corte orçamentário, a Polícia Rodoviária Federal, que antes apoiava o atual presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), está hoje, em sua grande maioria, apoiando o candidato Lula (PT), com 33% desse apoio. Na PRF, 43% não votam nem em Bolsonaro, nem em Lula, 14% revelaram que votarão em branco/nulo e apenas 10% seguem favorecendo o atual presidente.

Clipping
Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje

Restrições para servidores públicos e pré-candidatos às eleições de outubro passam a valer a partir de hoje (2), três meses antes do primeiro turno.  As medidas estão previstas na Lei nº 9.504/1997, conhecida como Lei das Eleições, e objetivam manter o equilíbrio entre os candidatos.  Políticos estão proibidos de autorizar a veiculação de publicidade estatal sobre os atos de governo, realização de obras, campanhas de órgãos públicos federais, estaduais e municipais, exceto no caso de grave e urgente necessidade pública. Nesse caso, a veiculação deverá ser autorizada pela Justiça Eleitoral.  Eles também não podem fazer pronunciamento oficial em cadeia de rádio de televisão, salvo em casos de questões urgentes e relevantes, cuja autorização também dependerá de autorização da Justiça Eleitoral.   A participação em inaugurações de obras públicas também está vedada, além da contratação de shows artísticos com dinheiro público.  Durante o período eleitoral, funcionários públicos não podem ser contratados, demitidos ou transferidos até a posse dos eleitos.  No entanto, estão liberadas a exoneração e a nomeação de cargos em comissão e funções de confiança, além das nomeações de aprovados em concursos públicos homologados até 2 de julho de 2022.  Em julho, o calendário eleitoral também prevê outras datas importantes para o pleito.  De 20 de julho até 5 de agosto, os partidos deverão realizar suas convenções para escolher oficialmente os candidatos que vão disputar as eleições.  A partir do dia 20, candidatos, partidos políticos, coligações e federações terão direito à solicitação de direito de resposta por afirmações consideradas caluniosas, difamatórias ou sabidamente inverídicas que forem publicadas por veículos de comunicação social.  O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno  para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro.  Fonte EBC

Clipping
Brasil ganha 4,3 milhões de eleitores desde 2020

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra, hoje, 152 milhões de brasileiros aptos a votar. O número é 2,9% maior do que a quantidade de eleitores em 2020, quando 147 milhões de pessoas podiam ir às urnas. Esse também é o patamar mais alto desde 2008, ano do primeiro registro histórico listado nas estatísticas do TSE. Nesses últimos 14 anos, o número máximo de eleitores havia sido alcançado em 2019 — 147,8 milhões. A evolução do número de aptos ao voto só registrou queda em 2020, quando houve redução de quase 2 milhões de votantes em relação ao ano anterior. A maior parte da população habilitada ao pleito de outubro tem entre 45 a 59 anos, é mulher e possui ensino médio completo. Ao todo, 53% da população que deve ir às urnas em outubro é do gênero feminino, 26,72% tem grau de instrução até o ensino médio e 22,87% têm ensino fundamental incompleto. Entre jovens de 16 e 17 anos, público-alvo de campanhas de incentivo ao título de eleitor neste ano, são mais de 2,5 milhões de aptos. Os dados contribuem para entender como será definida a eleição marcada para exatos 93 dias. Confira datas importantes do calendário eleitoral: Confira datas importantes do calendário eleitoral: