Papa vai falar sobre as manifestações no Brasil, diz jornal espanhol

Diante da inquietante perplexidade dos políticos, que ainda não conseguiram entender direito a voz das ruas e estão apavorados com as pesquisas de aprovação de governos, que não escolhem cor partidária, só há uma solução: rezar para que a situação melhore. Só que o papa Francisco, de acordo com o jornal espanhol El País, está do lado dos estudantes. Tanto que mudou parte de seu discurso para dizer que “as demandas levantadas por mais justiça não contradizem o evangelho”. Os políticos bem que poderiam fazer uma penitência, ajoelhar-se sobre grãos de milho e pedir perdão pelos seus pecados, que não são poucos. A vinda do papa é uma boa oportunidade.

Enquanto Francisco não chega, continua a todo vapor a tentativa de dar uma resposta à sociedade. Votações a toque de caixa de projetos que dormiram anos a fio nas gavetas, propostas de realização de plebiscito para saber o que a população brasileira deseja, reuniões ministeriais que ligam o nada a lugar nenhum do mesmo jeito que as reuniões de líderes partidários, tanto com a presidente Dilma Rousseff quanto no próprio Congresso.

Dilma mandou a sua proposta de plebiscito. Por mais pressão que faça, terá muita dificuldade de aprová-lo a tempo de valer para as eleições do ano que vem. Os caciques dos partidos da base, com os microfones desligados, deixam claro que não gostaram das ideias que vieram do Palácio do Planalto. Muito antes pelo contrário. Em boa parte, detestaram. É assim no PMDB, no PR, no PTB, no PSD e por aí vai. A oposição também não gostou. Então, só com muita reza e uma ajuda dos céus alguma coisa pode mudar. Quem sabe o papa Francisco possa ajudar?

Dilma fez a reunião ministerial, mas não fez o essencial. Vai continuar com o maior ministério da história deste país? Vai manter a coordenação política que não dá certo, mesmo com a mãozinha de Aloizio Mercadante, que é ministro da Educação e deveria estar cuidando dela? Pelo menos por enquanto, não. A polêmica agora é o plebiscito. Até ele vir a falecer.

Freio de arrumação

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, comanda hoje reunião da bancada do partido no Congresso com sua executiva nacional. Na pauta, a crise política e a queda da popularidade da presidente Dilma Rousseff, o que reforça a posição dos pessedistas que sempre defenderam uma postura independente em relação ao governo. O certo é que nos próximos 60 ou 90 dias não haverá nenhum movimento eleitoral do partido. Tudo indica, aliás, que só no ano que vem a legenda tomará uma posição, embora saiba que Dilma fará todo esforço para se recuperar.

Primeiro passo

O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), convocou para hoje, ao meio-dia, sessão do Congresso para arquivar vetos que já caducaram. Ele vai aproveitar para discutir com os líderes partidários os procedimentos para apreciar os demais vetos – no total, são cerca de 3 mil. A ideia é passar um pente-fino para separar o joio do trigo. O Palácio do Planalto vê com desconfiança tanta disposição nesse caso. É que o governo teme a derrubada de alguns vetos importantes, especialmente os do novo Código Florestal e o do fator previdenciário.

Milhagem aérea

Presidente da subcomissão de migração da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, Geraldo Thadeu (PSD-MG) está na Áustria, em encontro de uma ONG que defende os brasileiros que moram lá. Além da reunião, Thadeu fará duas palestras e aproveitará para assistir à reunião da ONU que será lá na sexta-feira. O parlamentar mineiro tem tradição nesse tipo de trabalho, já esteve na Bélgica, Espanha, Portugal e várias vezes nos Estados Unidos. Ele explica que a “situação está mais tranquila, os brasileiros estão voltando”. E brinca: “Não sei agora, depois dos protestos”.

Cinco horas

O deputado Miguel Corrêa Júnior (PT-MG) já tem na ponta da língua o discurso que fará na reunião de hoje da bancada petista para avaliar a crise política. Vai dizer que a principal questão é dar respostas concretas à sociedade e que não adianta manter o modelo de planos de longo prazo do governo. “Não dá para ignorar que um trabalhador de Ribeirão das Neves com emprego em Belo Horizonte passa cinco horas dentro do ônibus”, diz Miguelzinho, como é mais conhecido. E defende que, se for necessário, já que não dá para aumentar a passagem, que ela seja subsidiada.

“Foi péssima”

Quem esteve com o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), depois do encontro com a presidente Dilma Rousseff garante: é muito pequena a possibilidade de haver plebiscito sobre a reforma política a tempo de valer para as eleições do ano que vem. Se é que vai haver alguma reforma. A alguns interlocutores, Ciro Nogueira não economizou para descrever a reunião com Dilma: “Foi péssima”. Para piorar, é voz corrente entre os demais líderes partidários que apoiam o Palácio do Planalto que “só o PT leva vantagem” com o que foi proposto.

PINGA FOGO

Conversa intrigante no plenário do Senado entre os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional tucano; o ex-líder do governo Romero Jucá (PMDB-RR) e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que é senador licenciado.

Nada como uma política civilizada, mas Aécio é o principal líder da oposição e Romero Jucá, por mais que negue, ainda é um pote até aqui de mágoa por ter perdido a liderança.

E Aécio não perdeu a oportunidade. Quando alguém comentou sobre a conversa civilizada entre ele e o ministro de Dilma, sapecou: “Só não sei ministro de quê…”

Não bastasse a confusão criada pelos protestos dos estudantes, a Câmara dos Deputados teve que conviver ontem com outro tipo de manifestação. Garçons ocuparam as galerias para pressionar pela aprovação de aposentadoria especial para eles.

É o velho jeito PT de ser. Dos 40 inscritos para discursar ontem no plenário da Câmara dos Deputados, nada menos que 18 eram parlamentares petistas. Pelo jeito, queriam ocupar o microfone o máximo possível para não dar espaço à oposição.

A operação da Polícia Federal de combate à corrupção em vários estados foi batizada de Violência invisívelS. Uma boa escolha. Se não foi um recado para os últimos dias no país, mudou de nome.

Fonte: Estado de Minas

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Doação de leite humano só atende metade da demanda no Brasil

Com mais de 225 bancos de leite e 217 pontos de coleta espalhados por todo o país, o Brasil é referência internacional em doação de leite humano, utilizado principalmente para alimentar bebês prematuros e de baixo peso internados em leitos neonatais. Apesar da complexa rede instalada, os volumes doados só atendem cerca de 55% de toda a demanda, ou seja, pouco mais da metade da necessidade real. Para ampliar os estoques, o Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (17) mais uma edição da Campanha Nacional de Doação de Leite Humano.  De janeiro a dezembro de 2021, foram distribuídos 168 mil litros de leite para 237 mil recém-nascidos, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. No entanto, cerca de 340 mil bebês prematuros ou de baixo peso nascem todos os anos no país, o que corresponde a 12% do total de nascidos vivos. Por isso, os estoques dependem de mais doação.  Este ano, a meta da campanha é ampliar em 5% a oferta de leite materno a recém-nascidos internados nas unidades neonatais do país. O tema deste ano é “Doe Leite materno e receba a gratidão de uma vida”. A partir desta quinta-feira (19), quando se celebra o Dia Nacional de Doação de Leite Humano, a campanha iniciará a veiculação de propagandas nos meios de comunicação para sensibilizar possíveis doadoras. “Os bebês amamentados com leite humano têm mais chances de recuperação, de altas mais precoces. E isso representa uma economia para o Sistema Único de Saúde (SUS), menos uso de antibióticos”, destacou a coordenadora da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Janini Ginani. Segundo a pasta, cerca de 200 mililitros de leite podem alimentar até dez recém-nascidos. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) mostram que cerca de 6 milhões de vidas são salvas por ano com a ampliação das taxas de amamentação até o sexto mês de vida. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite materno, basta estar saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação.  No Brasil, a proporção nas doações de leite é de uma mulher doadora para cada 12 mulheres assistidas. Nos últimos 22 anos, mais de 3,2 milhões de bebês receberam leite materno doado no país.  Fonte: EBC

Clipping
Começa a obra de recapeamento asfáltico das principais ruas de Solidão

Ais um benefício chega para o povo solidanense, as obras de asfaltamento da rua principal de Solidão, Sertão de Pernambuco, começam nesta manhã de terça-feira (17 de maio de 2022). O asfalto tem início no portão da cidade e irá até a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, a tão sonhada pavimentação asfáltica da cidade de Solidão. A fase de aplicação da pavimentação já começou e, logo, estará concluída. Mais um benefício chegando ao povo solidanense. O Prefeito Djalma Alves (PSB), afirma que está é uma satisfação muito grande de iniciar essa obra tão esperada para a nossa população. “Para melhorar o aspecto da nossa cidade, melhorar o turismo religioso, isso é muito importante para o nosso município, uma obra que há muito tempo a gente vinha procurando desenrolar, e graças a Deus a gente conseguiu com uma parceria do Deputado Federal Gonzaga Patriota e também do Deputado Carlos Veras”, afirmou o prefeito. O Deputado Federal Gonzaga Patriota destinou emenda no valor de R$ 481.104,00 para Capeamento Asfáltico. Já com o Deputado Federal Carlos Veras o gestor conquistou emenda no valor de R$ 335.755,00 para Capeamento Asfáltico. O restante do cumprimento para a obra será com recursos do tesouro Municipal. Fonte: https://www.s1noticias.com/comeca-a-obra-de-recapeamento-asfaltico-das-principais-ruas-de-solidao/#ixzz7Ta5LRDU5

Clipping
Xangai atinge status de “zero covid”, mas lockdown continua

Xangai atingiu hoje (17) seu tão esperado marco de três dias consecutivos sem novos casos de covid-19 fora das zonas de quarentena, mas a maioria dos moradores terá que aguentar o confinamento por mais algum tempo antes de retomar uma vida mais normal. Para outras cidades da China que estão sob lockdown, três dias sem novos casos na comunidade geralmente significam status “zero covid” e o início da suspensão das restrições. O centro comercial da cidade de 25 milhões de habitantes estabeleceu na segunda-feira seu cronograma mais claro para sair de um lockdown agora em sua sétima semana, mas o plano foi recebido com ceticismo por muitos moradores irritados com o isolamento repetidamente prorrogado. “A normalidade está muito longe”, disse um morador de Xangai ainda retido em casa. Restrições Xangai planeja retomar as atividades ao ar livre em etapas, com algumas lojas reabrindo nesta semana, mas com a maioria das restrições de movimento permanecendo em vigor até 21 de maio, data após a qual o transporte público e outros serviços serão retomados gradualmente. Até junho, o lockdown deve ser suspenso, mas os moradores ainda serão solicitados a fazer testes com frequência. Mais pessoas foram autorizadas a sair de suas casas esta semana, porém, cercas altas permaneciam em torno de muitos conjuntos residenciais e quase não havia carros particulares nas ruas, com a maioria das pessoas ainda confinadas em suas casas. No geral, Xangai registrou menos de mil novos casos ontem (16), todos em áreas sob controle mais rigoroso. Fonte: AB