Cemafauna lança campanha para alertar que macacos não transmitem febre amarela

Clipping

O Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), em Petrolina está realizando uma campanha para reforçar que macacos não transmitem febre amarela. Muita gente desconhece o fato de que esses animais são vítimas tanto quanto humanos, e sucumbem rapidamente. Na verdade, eles são os ‘sentinelas’, ou seja, servem de alerta para as instituições de saúde, mostrando que tal área está sob o foco da doença, dessa forma, colaborando para a elaboração de ações preventivas.

A febre amarela é transmitida somente pelo mosquito Aedes aegypti mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, tanto nos humanos quanto nos macacos.

A campanha, intitulada ‘Febre amarela não é culpa dos macacos!’, alerta a população local e comunidade acadêmica do Campus de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), zona rural de Petrolina, sobre a importância da conscientização a respeito do ciclo de transmissão do vírus, que no país, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico, de 1º de julho de 2017 a 6 de fevereiro de 2018, registrou 353 casos, sendo destes 98 mortes.

Pernambuco não consta no mapa de casos notificados e confirmados de contaminação com a doença. Apesar disso, em Petrolina, a Secretaria de Saúde recebeu 200 novas doses da vacina, que já estão disponíveis desde 19 de janeiro, e reforça que o público-alvo (crianças – a partir dos nove meses – que viajarão para regiões consideradas de risco, bem como adultos – até 59 anos – na mesma situação) pode  se dirigir à AME Policlínica, das 8h às 17h, no Centro da cidade.

Ciclo

O ciclo de transmissão da febre amarela, de acordo com o Ministério da Saúde, é o seguinte:

  • O vírus da febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A doença não é passada de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença;
  • Há dois diferentes ciclos epidemiológicos de transmissão, o silvestre e o urbano. Mas a doença tem as mesmas características sob o ponto de vista etiológico, clínico, imunológico e fisiopatológico. No ciclo silvestre da febre amarela, os primatas não humanos (macacos) são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus e os vetores são mosquitos com hábitos estritamente silvestres, sendo os gêneros Haemagogus e Sabethes os mais importantes na América Latina. Nesse ciclo, o homem participa como um hospedeiro acidental ao adentrar áreas de mata. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados;
  • A pessoa apresenta os sintomas iniciais 3 a 6 dias após ter sido infectada.

Denúncias

A denúncia de maus tratos a macacos deve ser feita pela Linha Verde do Ibama (0800 61 8080). “Lembramos que matar, perseguir, caçar ou ainda praticar abuso ou maus tratos é crime, de acordo com a Lei federal 9605. Se encontrar macacos mortos, informe o Serviço de Saúde do município ou do estado pelo telefone 136″, frisa o Cemafauna.

Fonte: Carlos Britto

Cemafauna lança campanha para alertar que macacos não transmitem febre amarela

Clipping
Procuradoria-Geral da República defende volta de Nuzman à prisão

A Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu hoje (23), no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a volta do ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) Carlos Arthur Nuzman à prisão.  Em outubro do ano passado, Nuzman foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelos ministros da Sexta Turma. Nuzman foi denunciado por corrupção …

Clipping
Convocado na 1ª chamada do ProUni tem até hoje para comprovar informações

Termina hoje (23) o prazo para os candidatos pré-selecionados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) comparecerem às instituições de ensino e entregar os documentos que comprovem as informações prestadas no momento da inscrição. Quem perder o prazo ou não comprovar as informações é desclassificado. O candidato deve …

Clipping
Mineradora terá que distribuir água à população afetada por vazamento no Pará

O governo do Pará determinou que a mineradora Hydro AluNorte forneça água potável para os moradores das comunidades afetadas pelo vazamento de resíduos tóxicos de um depósito da empresa, localizado em Barcarena, região metropolitana de Belém, no último fim de semana. A determinação do governo faz parte de um plano …