Implantação de usina bio-energética de origem alemão poderá gerar energia na região a partir do lixo

A região do Vale do São Francisco no entorno Petrolina Juazeiro, englobando as cidades da região, poderá ganhar um grande instrumento para a transformação do lixo em energia eletrica, através do gás metano.

Segundo o ex-vereador Antonio Passos, Toninho, responsável pela vinda do grupo a região, deverão ser investidos recursos da ordem de 200 milhões de reais, que serão fracionados por várias cidades da região, interessadas no investimento. Nesse momento o vice-presidente do grupo no estados Unidos, Johanes Steinacker, recebe o vice prefeito de Petrolina, Domingos Sávio e o prefeito da cidade de Casa Nova Orlando Xavier, oportunidade em que mostra o projeto.

A empresa em Pernambuco

Com investimento na ordem de R$ 200 milhões, a Usina Bio-Energética Governador Miguel Arraes de Alencar terá capacidade para processar oitocentas mil toneladas do insumo durante a safra. As empresas responsáveis pelos empreendimentos são a Bio-Energy Solutions Group Inc e a Safe Internacional Business Consulting. A previsão é de que em quatro meses a usina comece a ser implantada em uma área de 30 hectares. A partir da fase de implantação, a unidade deverá ficar pronta para operar em 18 meses (a contar do início das obras).

De acordo com o vice-presidente executivo da Bio Emnergy dos Estados Unidos, Johannes Steinacker, na fase de implantação serão gerados 1.150 empregos, entre diretos e indiretos. Depois que entrar em operação, a usina empregará quinhentas pessoas na parte industrial e 1,5 mil no campo. Na unidade serão produzidos álcool, açúcar, energia e briquete (um tipo de lenha bastante usado em lareiras na Europa) a partir da biomassa e, ainda, um complemento alimentar para animais, produzido com o resíduo da levedura.

De acordo com o diretor industrial da TKS, Genízio Rodrigues – responsável pelo desenvolvimento e instalação do maquinário da usina -, a empresa trabalha com tecnologias brasileiras, americanas e indianas para produzir etanol com eficiência. “O equipamento que está sendo fabricado apresenta economia de 35% se comparada com as tecnologias convencionais. Do total que está sendo investido, 70% é para o custeio dessa aparelhagem. Antes, Pernambuco representava apenas 10% dos nossos negócios e, com a construção da usina, esse número sobe para 80% dos 40% dos nossos produtos que são comercializados no País”, contou Rodrigues.

Para o prefeito de Bonito, Ruy Barbosa, a instalação da empresa no município alavancará a economia e aumentará a geração de emprego e renda. “A usina será no distrito de Bem-te-vi e já que empregará mais de 100 pessoas, a empresa terá isenção de ICMS. Segundo o presidente do Sindicato dos Cultivadores de cana de Pernambuco (Sindicape), Gerson Carneiro Leão, a iniciativa é muito relevante para o setor. “Trata-se de uma alternativa para as usinas que estão passando por dificuldade. Parcerias desse tipo tendem a se estender e, as­sim, suprir as necessidades dos fornecedores e das agroindustrais. Com isso, o fornecedor poderá plantar a cana e ter a certeza de que ela será industrializada. Já existem projetos que seguem esse propósito para a Mata Norte do Estado”, enfatizou.

Fonte: BlogQSP

Blog do Deputado Federal GONZAGA PATRIOTA (PSB/PE)

Tentando dar o golpe do baú, n é hortencia. Todos sabem que tipo de pessoa vc é.
Isso não cola mais. E outra, se pretende continuar com isso va numa sessão espirita pq o mesmo ja faleceu faz tempo.

Eita q as mulher não perde tempo kkkkkk Se enxerga, tu nem sabe quem são os pais dos teus bastardos, mulher, ja chutasse p tudo quanto foi lado e não deu certo. Aprende a beber .

Credo que povo interesseiro. Trabalhar ninguem quer, so querem viver de pensao alimenticia de filho. Fulera, vai trabalhar

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clipping
Presidente: aumento do Auxílio Brasil pode superar efeitos da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem (24) que o aumento dos índices de inflação tem, entre suas causas, problemas decorrentes do isolamento social, medida de combate à pandemia que, segundo ele, acabou por prejudicar a economia do país. Segundo o presidente, uma medida que pode ajudar na superação desses efeitos negativos causados pela pandemia na economia é o aumento no valor do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600. As declarações foram feitas durante a cerimônia de inauguração dos Residenciais Canaã I e II, em João Pessoa (PB). De acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, está acumulado em 12,04%, nos últimos 12 meses.

Clipping
Saúde amplia público da campanha de vacinação contra gripe

O Ministério da Saúde informou que a partir de amanhã (25) os estados e municípios poderão ampliar a campanha contra a gripe para toda a população a partir de 6 meses de vida, enquanto durarem os estoques da vacina contra a influenza. Segundo o ministério, a ideia é que a ampliação na vacinação evite casos de complicações decorrentes da doença e impeça eventuais mortes e uma possível “pressão sobre o sistema de saúde”. A campanha nacional de imunização contra a influenza começou no dia 4 de abril. O Ministério da Saúde já distribuiu para estados e o Distrito Federal as 80 milhões de doses contratadas para imunizar a população brasileira. Até o momento, a mobilização contra a doença atingiu 53,5% de cobertura vacinal. Hoje (24), os pontos de vacinação atenderam exclusivamente pessoas que pertencem ao público-alvo da campanha, entre crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, indígenas e idosos. Quem faz parte do público-alvo e ainda não se imunizou, também poderá se vacinar após a ampliação da campanha. Para tomar o imunizante da gripe, basta ir a qualquer posto de vacinação. Fonte: EBC

Clipping
Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve a bandeira verde em julho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Com a decisão, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês. É o terceiro o anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica, que durou de setembro de 2021 até meados de abril deste ano. Segundo a Aneel, na ocasião, a bandeira verde foi escolhida devido às condições favoráveis de geração de energia. Caso houvesse a instituição das outras bandeiras, a conta de luz refletiria o reajuste de até 64% das bandeiras tarifárias aprovado nesta semana pela Aneel. Segundo a agência, os aumentos são devido à inflação e ao maior custo das usinas termelétricas neste ano, decorrente do encarecimento do petróleo e do gás natural nos últimos meses. Bandeiras Tarifárias Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o SIN gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias. Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre acréscimos que variam de R$ 2,989 (bandeira amarela) a R$ 9,795 (bandeira vermelha patamar 2) a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. O Sistema Interligado Nacional é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção são algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de todo o estado de Roraima. Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel. Fonte: UOL